terça-feira

A Escola está surpreendida com os resultados obtidos nos últimos dias. Tivemos um ministro da Nação a responder, milhares de visitas, quase duas centenas de comentários, links dos mais prestigiados blogs nacionais. Estamos... sem palavras.
Mas temos de continuar a trabalhar.

16 comentários:

Paulo Ferreira disse...

Estão sem palavras...e sem cadeira ;-) São actos que qualificam quem os pratica. Parabéns Dina, pela denúncia. Acho que temos todos sido demasiado complacentes com certas coisas que se têm passado na relação do poder com o jornalismo.

João Botelho disse...

Parabéns Dina,
A metáfora pode não ser totalmente conseguida, mas só pretende elogiar a coragem DINAstica:
A DINA é a CAROLINA SALGADO do jornalismo português!

Carolina Salgado disse...

Caro Botelho: Para isso faltou o champanhe em cima da mesa e, em vez da birra, faltou sentar-se ao colo do Sr. Ministro.

TAF disse...

Hummm, permitem-me interromper?
Publicado em http://porto.taf.net/dp/node/5021

Já aqui no blog se tem falado da importância dos media, da informação rigorosa e completa, da ênfase necessária a temas que interessam ao "país real" e não apenas ao submundo das tricas políticas de Lisboa. Ontem apareceu um excelente exemplo que ilustra bem a minha opinião sobre o que se vai passando. Trata-se de um episódio menor, uma historieta em si sem qualquer relevância, mas que torna absolutamente evidente o grau de incompetência e falta de amor à verdade que grassa nos meios jornalísticos, nos quais seria suposto termos alguma confiança. A mim, que sou militante do PSD, dá-me especial jeito que a cena se tenha passado com um membro deste Governo PS: é que neste caso a minha simpatia vai para ele, e por isso a minha motivação ao referir o assunto não se confunde com propósitos politiqueiros.

Invista-se algum tempo a ler estes 5 posts e respectivos comentários:
- Um chá para Rui Pereira
- Resposta ao ministro da administração interna
- Ministro blogger
- Resposta a Miguel Abrantes
- A arrogância do poder

Está lá tudo, com origem em vários jornalistas identificados: o relato impreciso e tendencioso, a omissão de dados importantes que foram sendo descobertos confrontando as várias versões, a "ciumeira" por perder um lugarzinho de destaque num evento social, a ausência de resposta a perguntas serenas mas incómodas, a tentativa de "corrigir o tiro" sem assumir o erro, a falta de memória/atenção para evitar contradizer colegas, a solidariedade cúmplice na desonestidade, a extrapolação de conclusões com base em factos assumidamente não confirmados, a "teoria da cabala" agora ao contrário. E também a defesa acéfala (e aqui até desnecessária) do Governo, o insulto gratuito, a profusão do anonimato "lambebotista", etc., etc. Não é o jornalismo que está decadente, é mesmo uma parte da sociedade que está podre. (Muito me admira - ou talvez não - que Pacheco Pereira não tenha usado este exemplo nos seus Índices do Situacionismo, já agora.)

Tenhamos cuidado. Mas isto tem cura, tenhamos também esperança.

Fernando Gomes disse...

Se fosse no meu tempo, até a Lídia Franco se metia nisto...

Anónimo disse...

Enquanto contribuinte sugiro teste à qualidade da ganza que circula em Cabo Verde!!!!
Está tudo louco ou quê??????

Juve Leo anti Bento disse...

Um dos dois armou a sua própria armadilha, colocou o isco e, ufano, pisou a ratoeira!
Quem foi? A senhora jornalista? Ou o senhor ministro?
Ou isto é uma Kavalla para nos distrair de Alcochete ?????
Das pichagens da Academia, é claro não do Freeport!!!!

Darwin disse...

O maior obstáculo à evolução da raça humana é o ministro pereira!

Dias Loureiro disse...

Garanto que desconheço a polémica relativa a esse banco, perdão, cadeira insular!

Saci Perere disse...

Toda uma polémica suscitada por um grito de arDINA!

Anónimo disse...

Este é o que se chama um post sonso. A Dina fez um relato hilariante sobre como um ministro lhe tirou a cadeira ao lado do PM. Fez uma montagem fotográfica toda catita com a coisa. Dois amigos da onça vieram dar versões alternativas. E depois vem "oh ma para quê tudo isto santo deus?"

Pedro

Anónimo disse...

A mediocridade disto tudo não está nesta patacuada blogueira, de classe merdiana de boca cheia.

Os blogs são pessoais.

O cúmulo está em o Público fazer disto uma notícia.

Perscrutem bem as cadeiras do poder, não as dos banquetes.

AB

Silva Pais disse...

Vá lá que ninguém caiu da cadeira, correndo o risco de sofer hematoma intracraniano, como o Prof. Doutor Oliveira Salazar.

Aníbal Cavaco Silva disse...

Na próxima audiência com o Zézito vou tirar esta história a limpo.

Tomás Taveira disse...

Não há cú para tanta hipocrisia!

para mim disse...

Acho que deviam completar o trabalho com um comentário à versão dada
à jornalista Margarida Conde pela dona do restaurante...

http://seiquequerosaber.blogspot.com/2009/03/polemica-da-cadeira.html