terça-feira

Pressões, dúvidas e diplomas académicos

Os directores dos dois principais jornais diários portugueses, geralmente designados por jornais de referência, nunca falaram com o primeiro-ministro José Sócrates. O diretor do Diário de Notícias queixava-se, esta noite na SIC-Notícias, de que Sócrates não lhe telefona. O director do Público confessva que não fala com Sócrates há 3 anos embora ele, JMF, tenha tentado repetidamente o contacto. Depois das "denúncias de pressões" é estranha esta falta de contacto. Afinal, há telefonemas a mais ou telefonemas a menos? E já agora, quantos directores completaram a licenciatura?

8 comentários:

Anónimo disse...

Há uns anos, resolvi o problema de um(a) chefe de redacção que só escrevia mal de um primeiro-ministro: disse-lhe (ao PM) que convidasse a pessoa em questão para almoçar. E não é que bastou UM almoço? Deve ter sido um dos almoços mais lucrativos da política portuguesa. Jornalistas (e quanto mais alto, mais verdade...) gostam é de ser bem tratados...
(bom, e se vocês soubessem a identidade das pessoas envolvidas, a começar por mim...)

Anónimo disse...

pois é, os jornalistas gostam de ser bem tratados, gostam de dizer mal de si próprios e gostam muito de estar ao lado do poder, como aparentemente é o caso da senhora....
ah, e do anonimato também, o que me chega para definição do camarada que me antecedeu.

dinis

Anónimo disse...

E a D.Dina, seria melhor jornalista se fosse licenciada? E caso o seja, acha que é por isso que chega a directora?

dina disse...

Percebo que quem tem tanta dificuldade em perceber o que se passa à sua volta esconda as suas opiniões atrás do anonimato. Talvez fosse melhor não dar opiniões, mas a opinião - tal como a parvoice - é livre. Quanto a tudo o resto, terei muito gosto em responder se os "comentadores" tiverem a dignidade de se identificarem. Gente de cara tapada não merece resposta.

ab disse...

Quel fromage au tour de cette question de "licence" ou
pas, Malraux était autodidacte, et n’avait pas de diplômes universitaires;il est devenu l’écrivain que l’on connaît et un des plus grands ministres
du général De Gaule.
Malraux a souffert de ce qu’il a considéré comme une lacune dans sa vie,mais il n’a jamais menti, la différence est là peut-être…

rps disse...

Eu confesso já, para que não haja dúvidas, que terminei o bacherelato em 89 e, depois, voltei muito mais tarde para completar a licenciatura em 2001. Mas foi tudo legal!

júnior disse...

O INDIEJÚNIOR está de volta! A festa do Cinema para os mais pequenos!

rps disse...

Alguém sabe que curso tem o David Damião?