sábado

No novo conceito de 'sagrado'

Eu, abaixo-assinada, juro, por minha honra, não colocar uma bandeira nacional na janela, para (ela) não ter que bater em retirada...
se e quando, o país regressar à 'normalidade'.

4 comentários:

rps disse...

Eu, se puder, calco, piso uma bandeira. Como fez, um dia, o Mário Soares. Das poucas coisas que fez com sentido, aliás.

Eva Shanti disse...

Lamento dizê-lo, mas não estou com fé nenhuma em Portugal neste Mundial...

Não quero agoirar, mas estou a achar confusão demais e vedetismo demais.

E depois dos Sub21, que também não me espantaram...

Bjs

Inês Meneses disse...

Nem mais!, quem investe o patriotismo em jogos da bola tem um patriotismo de pavio curto, sem passado que se veja nem futuro previsível...

cardeal patriarca disse...

Cara Inês

Gostei do patriotismo de pavio curto ! portanto sempre à beira da explosão / exaustão / insatisfação.

Não acho que uma bandeira faça mal e, o homem é do marketing, obriga-os a dar tudo por tudo.

Já me viram a vestir todos os dias uma T-shirt com a bandeira de Portugal ?

Rendia mais ou menos ? ou não tinha influência ?

Que ele lida connosco como latino-americanos lida ! E não somos ?

(Nós não ! Mas os outros 95%) Ele a nós não se dirige sequer !

Os intelectuais morreram !!!