quinta-feira

(In)segurança na estrada

Não conheço ninguém que tenha morrido num acidente aéreo, mas tenho um medo irracional de andar de avião. Em contrapartida, ao meter-me num automóvel, não penso no perigo. O movimento é automático e rotineiro, isento de receios. Mas, de facto, posso fazer uma lista de pessoas, que se cruzaram comigo, directa ou indirectamente, e morreram na estrada. A última, ontem, tinha 20 anos.

3 comentários:

escola de lavores disse...

Além da tristeza inerente a qualquer morte, só me ocorre dizer que, ao contrário de ti, tenho muito medo da (auto)estrada, muito mesmo!, e não tenho dos aviões. E acho que há recionalidade nesse medo, sobretudo aqui.

dina disse...

Eu também entro mais confiante num avião do que num carro.

Ana disse...

Pois eu, Susana sou exactamente como tu: tenho pavor de voar. A minha imaginação é muito grande e quando estou lá dentro estou numa tensão profunda... tento distrair-me com revistas ou a conversar com alguém, mas vou o tempo todo a pensar nas mil e uma coisas que podem acontecer. Respiro de alívio quando o avião aterra. Mas, de facto, devia ter mais medo das estradas. Apesar de ser sempre muito cautelosa, há sempre com cada maluco...