sexta-feira

Alfaces light


Eu juro que já tentei ler a Margarida Rebelo Pinto (MRP) mas não consegui passar da segunda página. Era tanto gaja-e-f.-e- gajo que me chateei. E até conheço um [gajo] que leu o primeiro livro dela e gostou mas pegou no segundo e achou que estava a ler o primeiro, mas isso não interessa...(Dentro do género, cheguei a comprar "As mulheres não choram" da Rita Ferro por gostar do título e acabei a chorar o meu dinheiro...) Vem isto a propósito da polémica de que a Dina falava lá em baixo. A providência cautelar só demonstra o respeito da intelectualidade livresca pela liberdade de expressão. E eu, se fosse a MRP, até ficava vaidosa por, ainda viva, já ter alguem a analisar a minha escrita ! Não interessa que falem mal, o que interessa é que falem...Vende mais