domingo

Um chá para Rui Pereira


Terminada a visita oficial a cabo verde, e para ocupar o tempo até à hora do regresso, a comitiva de josé sócrates e os jornalistas que acompanhavam a visita juntaram-se num restaurante da cidade da praia. Na mesa do primeiro-ministro, ficou a ministra da defesa de cabo verde e todos os jornalistas portugueses. Quem parece que não se conformou com a distribuição dos lugares foi o ministro da administração interna. Ainda o café não tinha chegado à mesa, já rui pereira mandava um empregado do restaurante dizer a uma jornalista que se levantasse para ele se poder sentar junto de sócrates. Assim, sem mais. E antes que houvesse tempo para reagir, lá estava o ministro de pé, coladinho à cadeira da jornalista, para que ela se levantasse e ele se pudesse sentar. Sem um olhar, uma palavra, uma desculpa, uma razão por muito esfarrapada. Até ao fim do jantar, lá ficou sentado, colado, provavelmente com medo de ser remodelado depois dos resultados vergonhosos que apresentou no combate ao crime. Eu sei que é difícil acreditar numa falta de educação de tal calibre. Mas foi exactamente assim que se passou. Eu sei. Eu estava lá. Fui eu que tive que me levantar para o ministro se sentar.

72 comentários:

luisa disse...

Já se percebera que há ministros muito pouco educados, mas tanto?!

Anónimo disse...

Tanto.Fiquei chocada. E eu não me choco com qualquer coisa. dina

rui pereira disse...

Estou estupefacto com o seu post e com a ordinária fotomontagem que o ilustra, para os quais pessoa amiga me chamou a atenção. Para seu esclarecimento, parece-me curial dizer-lhe: não jantei com o primeiro-ministro porque eu convidara, antes, para jantar o meu homólogo e quis honrar esse compromisso, na companhia da oficial de ligação do SEF, de um assessor do MAI e de um dirigente do MAI de Cabo-Verde; pediram-me para ir ter,no fim do jantar, à "Quinta da Música", para sair daí para o aeroporto; na falta de mesa, estive em pé, durante algum tempo, a um canto; não falei com nenhum empregado, directamente ou por interposta pessoa, a pedir que me arranjassem o lugar; foi o primeiro-ministro de Portugal que me chamou, a certa altura, para me sentar ao pé dele; nessa ocasão, o lugar estava vago e eu ignorava que alguém lá encontraria; cerca de meia hora ou 45 minutos depois saí para a rua para falar com pessoas da delegação portuguesa; todos estes factos podem ser categoricamente comprovados pelas pessoas que acabo de citar e pelo jornalista da Lusa com o qual troquei impressões; aliás, para ser sincero, se visse a autora deste post não a reconheceria sequer;resta-me lamentar o tom preconceituoso e profundamente injusto do post. Rui Pereira

susana disse...

Será que é mesmo o ministro/alguém por ele a responder ao post ? Delicioso.

GL disse...

Post miserável.

Fernando Antolin disse...

E se isto foi verdade,quem a obrigou a levantar-se? Algum segurança?

Anónimo disse...

Testemunho presencial...

Cara jornalista,

Porque a verdade é, não raras vezes, muito mais difícil de aceitar do que meras conjecturas e avaliações imaginativas, cumpre deixar, neste momento, um esclarecimento cabal, objectivo e imparcial do que, na realidade, se passou no Jantar que teve lugar, no passado Sábado à noite, no Restaurante "Quintal da Música".
Os factos ora descritos, repito, correspondem, de forma integral, à verdade ocorrida e são relatados por alguém que não só estava presente no local como observou a sequência dos acontecimentos.
Terminado o simpático jantar que teve lugar naquele restaurante da cidade da Praia, alguns jornalistas que estavam sentados na mesa do Senhor Primeiro-Ministro de Portugal, de entre os quais a jornalista autora dos "posts" deste blogue, decidiram fazer uma pausa para fumarem um cigarro. Por esta altura, e conforme a jornalista em causa recordará, a Senhora Ministra da Reforma do Estado e da Defesa de Cabo-Verde (que se encontrava no lugar à frente do Senhor Primeiro-Ministro de Portugal) solicitou, de forma cordial e simpática, aos referidos jornalistas que não fumassem à mesa do jantar (por razões óbvios e cuja natureza me escuso a comentar). Acendendo ao pedido em apreço, a jornalista Dina e os demais colegas e membros da Delegação Portuguesa abandonaram, por sua livre e espontânea vontade, a mesa de jantar e dirigiram-se para o espaço exterior, contíguo ao restaurante, para a sua "pausa de fumadores".
No entretanto, o Senhor Ministro da Administração Interna de Portugal entrou no Restaurante, acompanhado por algumas pessoas, das quais cumprirá destacar o seu colega e homólogo de Cabo-Verde. Ao entrar, o Senhor Ministro não se dirigiu para nenhuma mesa ou lugar em particular, mas sim para a zona do Bar/Balcão do Restaurante, onde permaneceu durante alguns instantes. A título de esclarecimento, e para enorme desilusão de alguns frequentadores deste blogue mais entusiastas da jornalista que está a tentar "reescrever a verdade dos acontecimentos", o lugar à direita do Senhor Primeiro-Ministro estava ocupado por um jornalista/pivot da SIC e, para surpresa dos mais incrédulos, o lugar à sua esquerda estava, VAZIO! Ninguém ali estava sentado, absolutamente ninguém, nem mesmo um mero casaco a identificar alguma presença naquela cadeira.
Voltando ao Senhor Ministro da Administração Interna, o qual permanecia ao lado do Balcão do Restaurante, o mesmo fez o que qualquer pessoa teria feito, "deu uma vista de olhos" na sala e observou, em maior detalhe, o concerto de uma pequena banda cabo-verdiana que, como de resto é hábito, actuava no "Quintal da Música" naquela noite. Eis senão quando, o Senhor Primeiro-Ministro reparou na presença do Senhor Ministro da Administração Interna, ao lado do Balcão e a falar com os elementos que o acompanhavam (incluindo o Ministro cabo-verdiano, Dr. Lívio Lopes), e acenou ao Senhor Ministro Rui Pereira. Este aceno foi, aos olhos de toda e qualquer pessoa que se identifique com o valor supremo da verdade, um aceno de cordialidade e de indicação clara no sentido de convidar, expressamente, o Senhor Ministro da Administração Interna a ocupar o lugar que estava vago, ao lado do Senhor Primeiro-Ministro.
Por maioria de razão, mas também de educação e de cordialidade, o Senhor Ministro da Administração Interna não fez mais do que aceitar o convite que lhe tinha sido dirigido e deixou as pessoas com quem estava para se dirigir à pessoa do Senhor Primeiro-Ministro. Aliás, e uma vez mais em rigor da verdade, o Senhor Ministro nem se sentou directamente no lugar que estava, repito, VAGO, mas, colocou-se por detrás do mesmo, tendo o Senhor Primeiro-Ministro insistido para que ele se sentasse.
Em nenhum momento de todos estes acontecimentos foi a presença da jornalista Dina notada na Sala do Restaurante, quando menos na própria mesa.
Em nenhum momento o Senhor Ministro da Administração Interna se dirigiu a qualquer funcionário daquele estabelecimento comercial, nem mesmo para pedir uma bebida em tão quente noite da cidade da Praia.
Em nenhum momento foi o Senhor da Administração Interna informado de que aquele lugar se encontrava ocupado. Menos ainda, de que a pessoa que teria estado a ocupar aquele simples lugar era a mesma pessoa a quem o próprio Ministro da Administração Interna cantou os parabéns, acompanhando a famosa cantora cabo-verdiana “TéTé”.
É tão somente esta a verdade dos factos.
É, realmente, lamentável que aquela pobre cadeira do “Quintal da Música” (uma cadeira que, de resto, parece ter um valor inestimável para a jornalista Dina), não possa testemunhar esta verdade neste fórum democrático em que cada um pode reescrever a história como bem lhe aprouver.
A verdade, clara e simples, transposta para um velho provérbio português, não será difícil de compreender:
"Quem vai ao ar, perde o lugar!".

Anónimo disse...

Estranha a forma como as colegas do blog reagiram a uma atitude digna do ministro de dar uma explicação sobre o episódio.

Anónimo disse...

Tadinho do bebé chorão!
Afinal, a pobre da Dina fazia aninhos e não gostou de ficar sem lugar à mesa por ter ido dar umas cigarradas para a rua...!!!!
Que peninha....!
Se calhar até acha que foi uma "consipação de Estado", orquestrada para garantir que ela não será a próxima líder do Bloco de Esquerda.....:(

joão amaro correia disse...

mas agora um ministro anda a comentar posts?!?!?!?!? e se experimentasse governar?

j

Anónimo disse...

João Amaro Correia, e porque é que um Ministro não terá de defender também a sua honra quando uma jornalista o acusa de algo que é mentira? Não digo que seja ou que não seja mas não percebo porque razão não terá o Ministro de descer à terra para se defender. Se a acusação é feita aqui onde se iria ele defender? Olha que merda!

Anónimo disse...

É... aparentemente, o valor da democracia e da liberdade de expressão só parece constituir um direito para aqueles que gostam de criticar e de falar mal das pessoas e não para qualquer um que, à luz da constituição, coporiza o valor supremo do conceito de "cidadania", conforme saído da Gloriosa Revolução Francesa de 1789!

Gonçalo Pizarro Monteiro disse...

Verdade ou mentira, o texto da que se assina Dina é uma coisita miserável, baixinha, traiçoeira, de mulher despeitada, cheia de rancor e ódio [vide imagem]... miserável. Não gostei.

Tão mal vai o Governo como o jornalismo em Portugal.

Kruzes Kanhoto disse...

Deixe lá que não perdeu nada...com uma companhia daquelas, antes só!

Sérgio disse...

E se o testemunha que se apresenta como presencial viesse assinado pelo seu autor? Não teria mais credibilidade para confronto com a afirmação da jornalista que dá a cara e a voz ao seu protesto? Mas lá que é bizarro ver um ministro a responder ao post de uma jornalista em comentário no blogue... lá isso é!

Observador disse...

Fantástico, o número de capachos socretinos que acorreram a defender o indefensável, ou seja, o vergonhoso comportamento do "Senhor Ministro". Chiça!!!
Seria bom que tais répteis se identificassem, para a gente saber quem desce a tão indigno servilismo ante o poder do momento.
Que nojo!

Anónimo disse...

Não se apoquente, Dina. Mais vale só que mal acompanhada.
Incrível a quantidade de rastejantes so-cretinos que se apressaram a "defender" o dono!!!...

Afonso Henriques disse...

A bicharada que saíu do esgoto a defender o incompetente ministro...que desinfestação que este país precisa!

Anónimo disse...

Ó Dina, que cretina a menina!

Amilcar Cabral

Tino disse...

Portugal precisava de um Sócrates para bater no fundo, de forma a ser possível reerguer Portugal a partir do nada...

Wegie disse...

Cara Dina: Parabens pelo seu blog. Consegue mesmo fazer sair a caça para fora. Agora é só abatê-los!!!

joshua disse...

Nunca me diverti tanto: os anónimos sucessivos em defesa do Dr. Rui pareciam sempre o mesmo com um estílo grandiloquente e arquejante, mesmo com o esporádico uso desinfecto de vernáculo.

Os factos relatados pela Dina ou pelo calor da sua subjectividade também têm calor e candura e, por que não?!, objectividade. A dela. Tal como o condescendente e blogosférico ministro blogueano a dele, aliás polifónica, como se leu.

Portanto, tudo aqui é 'mágico', 'poético', 'belo'. O Dr. Rui a vir pressuroso a defender-se ociosamente com toda a nobreza e à sua cadeira cabo-verdeana e ao aceno afectivo e invitatório do PM, cadeira jamais usurpada e muito menos insinuada, aceno incondicional, completamente porreiro.

Pensei que só o Parlamento, neste tempo de fomes brutais e faltas tremendas, era dado a bizantinices. Mas não. A Bizantinice e o não-essencial está por todo o lado, entretendo os portugueses e desviando-os, por momentos, do grande enigma pessoal: como sobreviver.

Aliás, a julgar pela grande pausa visitacional que a Bloga Nacional observou na semana passada do José Eduardo e do Vôo cabo-verdeano, e uma vez que o Povo não lê blogues nem jornais nem porra nenhuma, fica provado que o Governo Lê Blogues Denodada, Massiva e Apaixonadamente, tem papagaios a defendê-lo por aqui-del-blogue e por ali-del-blogue e tem sobretudo isso, uma corte correcta de grandes emissores de amens, de peões em cios defensivos do seu Senhor.

Escrevem bem como quem escreve actas e ofícios, mas não têm estilo pessoal como o não tinha Oliveira Martins, o contemporâneo de Eça: como a realidade e a subjecividade com que olham a realidade os não transforma e não se reverte numa linguagem autêntica, sensível, em vão tentarão validar versões oficiais a régua e esquadro. Descrever não é demonstrar. Duas subjectividades, uma parca, a da Dina, a outra precária, a do Dr. Rui e do anónimo acessor, uma justapostas não se anulam e também não se subtraem. Permanecem e seguem paralelas.

A nós cabe-nos acreditar, não na melhor argumentação e elenco de factos, mas no que quisermos em função da palavra com a qual nos cumpliciamos ou não cumpliciamos.

O ministro e os seus acessores eloquentes cumpliciam-se claramente. A Dina e os amigos que a conhecem e lhe aferem e caucionam a sensibilidade e capacidade de ver e de sentir fazem-no também.

Gravidade Global? Zero. Pertinência? Nula. O juízo popular do MAI está feito há muito tempo e não muda com a dança da cadeira no restaurante com música.

Talvez seja bom o Dr. Rui, no pouco tempo ministerial que lhe resta, passar não só a ter cuidado com os microfones de alta captação que lhe captam as bocas-Bruni, mas também com o olhar aquilino e ultrassensível dos jornalistas imbatíveis e ultra-experimentados a inferir.

ANTÓNIO GÓIS disse...

Olha, olha, tantos anónimos a defender o Ministro...

javali disse...

Tudo isto é absolutamente ridículo.

Eu só cedo o meu lugar a grávidas e aleijadinhos (até aqui entendo a jornalista) - mas só me levantaria se estivéssemos num autocarro.

TA disse...

Eu também acho isto ridículo:
http://www.youtube.com/watch?v=v25iyHVImB4

Miguel Caetano Dos Santos Zumthor disse...

Toda esta situação vem realçar a impraticalidade que estas reuniões no mundo real acarretam. Teria isto acontecido se tais reuniões entre dignatários nacionais se tivessem processado no mundo virtual, através de videoconferências ou mesmo num vulgar chat, para os assuntos menos essenciais? Nesta altura de crise, é altura de cortar no despesismo das viagens de estado, é altura de passar a viver num mundo digital, sem cadeiras pelas quais lutar ou discutir, e onde o cheiro do tabaco não é relevante.

(Se gostou deste comentário, visite o meu blogue e deixe uma contribuição. Obrigado)

de.puta.madre disse...

Olha Eu fui Insultada No Twitter ( Uma banalidade em moda agora) porque na brincadeira c outra incrita nesse site a Retwittava sempre que ela lançava algo para a conversação. ( Ela Odeia o acto, então é + engraçado arrelia-la!!!)
acontce que ym tal de @PauloQuerido - apontado plos aderentes à modalidade como o espet da coisa - se agoniou até ao desplante de me insultar com grosserias de quem duvidosamente aprendeu bem os ensinamentos da educação mínima!
Não me espanta nada estas Demências de quem por ocupar lugares de muita responsabilidade possam ser uns perfeitos desajustados do mínimo bom-senso y de saúde mental.

Pela bestialidade de que fui ontem alvo por um Auto-Papa y demenciado, aqui fica a minha narrativa como sinal da minha solidariedade.

Anónimo disse...

Não sei o que dizer...

Conheci o Dr. Rui Pereira há uns 30 anos, nos idos de 70 e muitos, e ele era um cavalheiro, educadíssimo e simpátco.

Apesar de ter aceitado ser ministro deste governo muito autoritário e alheado dos simples, não me parece que tenha perdido as boas maneiras.

Por isso e a acreditar que a jornalista tenha referido alguns factos verdadeiros, penso que estão descontextualizados.

Alguma malta ligada a este governo é mauzinha, mas não exagerem...porque os "jornalistas" que cá temos, também não são grande coisa.

Digo eu...

Saloio

MariaJoão disse...

Que episódio delicioso!!! Não a atitude do Ministro (condenável) mas dar-se ao trabalho de comentar. O país em crise, a criminalidade violenta em constante aumento, mas isso serão fait-divers para o Governo que terá outras prioridades tais como a propaganda eleitoral e o partido com maioria simplesmente preocupado com o excesso de sal no "pão português"!!! O País que temos....

Ricardo Pereira disse...

Afinal pelo relato de outro jornalista presente foi o PM que chamou Rui Pereira para junto de si, será que não reparou que tinha tomado a refeição junto de outra pessoa ?

Condenável será o facto da jornalista jantar em tão má companhia, e logo sentar-se exactamente ao lado do PM... Deus me livre.

Anónimo disse...

No Evangelho de Lucas um acontecimento nos mostra como o orgulho se manifesta e quais as suas consequências: "Reparando como os convidados escolhiam os primeiros lugares, propôs-lhe uma parábola: Quando por alguém fores convidado para um casamento, não procures o primeiro lugar; para não suceder que, havendo um convidado mais digno do que tu, vindo aquele que te convidou e também a ele, e te diga: Dá o lugar a este. Então irás, envergonhado, ocupar o último lugar. Pelo contrário, quando fores convidado, vai tomar o último lugar; para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, senta-te mais para cima. Ser-te-á isto uma honra diante de todos os mais convivas. Pois todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado" (Lc 14.7-11).

Guilherme Morgado disse...

Tristeza de comentário! Só podia vir de alguém com dor de cotovelo e ligado à execrável RR.

Pedro disse...

Dina - sinónimo de jornalista infatil e superficial.

Observateur disse...

Rui Pereira??

Reunia no Pavilhão Atlântico a cimeira UE-Africa, uma das maiores operações de segurança que este país alguma vez assistiu, e andava o "Senhor Ministro" nas Amoreiras a comprar roupa de gaja, numa tal de Loja Amarela. Visto com os meus próprios olhos, ninguém me contou.
Ou seja, ia o barco a todo o vapor, e andava "o comandante" às compras...

Manolo Heredia disse...

Enfim, os nossos governantes andaram mais uma vez a fazer figuras tristes em terras de ex-colónias... O chefe de protocolo devia ser demitido imediatamente, pelo Presidente da República.

synergias disse...

O número de comentários anónimos é tristemente representativo da educação, nível de civilização e coragem deste país de "quintais". Lamentável música.

Anónimo disse...

Pela forma como esta insignificante história foi contada, topa-se logo a seriedade, veracidade e imparcialidade da jornalista que me fazem ter esta atitude desesperante de defender estes gajos. De facto, não é só a política que anda pelas ruas da amargura, nada deve a estes "jornalistas" de vão de escada.

Filipe Louro disse...

Por favor, tanto alarido por causa de um mal-entendido! A minha opinião vale o que vale, mas não me parece que ao Ministro Rui Pereira faltem oportunidades para se sentar junto ao PM, bem como não me parece que a srª jornalista fizesse assim tanta questão de o fazer. Tanta exaltação por um lugar ao lado de Sócrates! Quanto ao facto do Ministro ter respondido, é uma daquelas questões de dois «bicos», se responde é porque não tem nada para fazer ou qualquer um dos outros argumentos utilizados. Caso não respondesse seria arrogante e autista...
É verdade que estamos em época eleitoral, mas convém que tenhamos um pouco mais de atenção aos episódios que escolhemos!

Capitão Merda disse...

Por que será que não estou surpreso?

Joe disse...

É o chamado QUERO, POSSO E MANDO!!

Mete nojo!

Capitão Merda disse...

Ah...
Eu, se estivesse no seu lugar teria agradecido.
Sentar-me ao lado do Sócrates só com uma pistola apontada à cabeça!
E ainda assim não sei...

Anónimo disse...

Que bonito está o menino Rui Pereira na sua farda de oficial das SS! É de morrer...
Quanto aos anónimos que testemunharam em seu favor, não passam de silples agentes das SS...
Requiem pelas suas almas.
Pica-Pau

Daniela Major disse...

Acho que já há muito tempo que não me ria assim. Um ministro de Estado de Portugal a comentar um post de um blogue que por acaso é sobre ele, é pura e simplesmente hilariante . Se todos os ministros comentassem posts em blogues que falam sobre eles não faziam mais nada...e pelos vistos já pouco fazem.

Quanto ao post em si, todos estes anónimos bastante suspeitos que por aqui andam, deviam eram perguntar-se se a jornalista tem alguma razão para mentir. Há quem faça mais do que inventar histórias sobre ministros em blogues.

joaoh disse...

Uma “notícia” destas, sendo verdadeira ou falsa, é acima de tudo indecorosa. A jornalista conta uma história sem qq interesse público, de uma (suposta ou não) descortesia, que tenta transformar em facto (mais parece azia) político. O mérito que tem é apenas o de revelar o talento para a farsa dos actores envolvidos, dignos de Moliére. Poder-nos-ia ser explicado qual é o benefício para a democracia deste post?

Anónimo disse...

E que tal alguém lembrar que o pm mandou o ministro sentar-se numa cadeira que sabia pertencer a alguém e que isso só demostra o desprezo que este se está puramente cagando para os jornalistas. E como eu o compreendo, porque quem aceita que se lhe mije no sapato muitas vezes, não se pode ofender por lhe mijarem mais uma vez no pé. Queem não se dá ao respeito, não pode ser respeitado. Os jornalistas, a maior parte uns merdas presunçosos, borra-botas do piorio, são, também, responsáveis, pela merda a que isto chegou.

pirolas disse...

Isto é o verdadeiro jornalismo infantil.... (categoria em que se inserem alguns dos comentários e dos comentadores) contador de estórias imaginárias! Será que a Dina foi fumar um cigarro ou aproveitou e fumou um charro?
Engraçado como as pessoas reagem a uma "notícia" destas! E especialmente quando a pessoa visada, ou alguém por ele, desmente categoricamente.

Jorge disse...

Isto parece tudo um mal entendido...

Todos temos conhecimento de como um boato se torna em notícia de primeira página, e nem sempre é por acaso. Se por vezes os políticos me repugnam com determinadas posturas, não digo menos dos jornalistas.

Quanto ao facto de um ministro ver e comentar blogs, acho bastante positivo. Gostava de ver os políticos envolvidos pessoalmente nas questões de todos nós (pois, sim...). Infelizmente o povo apoia e pactua com o elitismo.
Neste caso específico, a pessoa em causa está simplesmente a defender-se de uma situação que pode prejudicar a imagem, não me parece chocante.

disclaimers:
- não conheço pessoalmente o ministro ou a jornalista em causa;
- nenhum partido, actualmente, corresponde às minhas expectativas;
- não sou anónimo.

:-)

rendadebilros disse...

Dina
Desculpe que lhe pergunte, mas que interesse tinha , para si, continuar sentada ao lado desse sr.??? ...

Anónimo disse...

Generalizando não gosto de jornalistas nem de ministros, do referido ainda menos...

Agora uma coisa é certa, se a moda pega não podemos nem ir à casa de banho pois deixamos o lugar VAGO!!! e vá-se lá saber quem poderá andar por perto...

ga3 disse...

É mais uma campanha negra onde impera a insídia e a desonestidade de informação, orquestrada pela oposição Leitina que, na medida em que se apercebe do fundo escuro em que se encontra, não se mune de outros meios que não os da cabala e do boato para se evidenciar.
Mais, os comentários badalhocos do "Senhor Ministro" a respeito de Carla Bruni, tão somente a Primeira Dama de França, não são mais que uma fantasiosa montagem cinematográfica. E até mesmo os também famosos e ordinários comentários sobre o decote de uma jornalista de uma estação de televisão nacional não passam de uma outra cabala orquestrada contra este tão bem sucedido e "popular" governo.
É ou não é assim?
Tanto mamão que aqui vem defender o "Senhor Ministro".

Hugo Chávez

César das Neves, The 3trd disse...

A Jornalista Dina devia saber que almoços grátis só se encontram nas ratoeiras !!!!!!!

Manuel Leão disse...

César das Neves:

Basta ver o que escreve no DN para saber que não há almoços grátis!

Anónimo disse...

Já repararam no comentário do primeiro anónimo a intervir a seguir ao (presumível) comentário do ministro?!
O homem para saber aquilo tudo com aquela certeza não fez mais do que estar em cima do ministro todo o tempo que ele esteves na sala; e também da jornalista; e de todos os outros, já agora - repare-se que a pessoa relata a história ao ínfimo pormenor.

«Em nenhum momento de todos estes acontecimentos foi a presença da jornalista Dina notada na Sala do Restaurante, quando menos na própria mesa.
Em nenhum momento o Senhor Ministro da Administração Interna se dirigiu a qualquer funcionário daquele estabelecimento comercial, nem mesmo para pedir uma bebida em tão quente noite da cidade da Praia.
Em nenhum momento foi o Senhor da Administração Interna informado de que aquele lugar se encontrava ocupado. Menos ainda, de que a pessoa que teria estado a ocupar aquele simples lugar era a mesma pessoa a quem o próprio Ministro da Administração Interna cantou os parabéns, acompanhando a famosa cantora cabo-verdiana “TéTé”.»

COMO É POSSÍVEL ALGUÉM TER ESTA CERTEZA ACERCA DAQUILO TUDO!!!!????

DAS DUAS UMA: OU O COMENTÁRIO É DO MINISTRO, OU É DE ALGUÉM QUE INVENTOU A HISTÓRIA À SUA MANEIRA.

ACREDITO QUE SEJA A SEGUNDA.

Violeta disse...

é a primeira vez que aqui venho e estou chocada. Chocada pela por uma jornalista descrever desta maneira um episódio, que a ser verdade, deveria ficar caaldo (já não existe ética nem educação). Chocada pela quantidade de anónimos que existem por aqui, o que prova em parte o carácter de quem escreve, chocada por tudo. Confesso que tinha a ilusão que jornalismo e política estavam um pouco melhor.
Só queria lembrar que a verdade tem tantos lados como os das pessoas envolvidas.
Será que naõ se pode colocar a questão de um mal entendido e que um sincero pedido de desculpas e um sincero desculpas aceites poderia resolver.
Como dizia alguém, nessas frases que se lêm por aí, tipo confúncio disse...Muito mal estamos quando o ego das pessoas é tanaho do mundo e o Ser tamanho de uma ervilha...

Anónimo disse...

Alguem sabe se o Ministro dos Negócios Estrangeiros "aparece" nos blogs? gostaria de lhe mandar uns recados sobre o modo vergonhoso como funcionam alguns consulados portugueses no estrangeiro....

BÓLICE disse...

blog onde mulheres da comunicação cosem outros retalhos das notícias, num tricô de peças avulsas ou bordando a polémica, do novelo até à manta

E com este prefácio, entra-se neste blog... lol...

... e está tudo dito.
Se isto É para se divertirem é fraquíssimo... se É a sÉrio é UMA TRISTEZA. Catedráticos, doutorados e altas patentes por aqui a fazerem novela!?! Isso é bom para mim que sou um-grunho-com-dois-olhinhos, pÁ!
Ministros, jornalistas, militantes partidários ou que quer que sejam, não sabia que se davam ao trabalho a intrigas e prazeres menores!?!

TENHAM VERGONHA!

Hasta Cambada

B)'iL

Anónimo disse...

Dina não se preocupe, tenho uma cadeirinha das Caldas para si. Seja bem-vinda.

saloio3

ATRIBUTOS disse...

Exma Senhora

Tomei a liberdade de colocar este seu "post" e a resposta do ministro no meu blogue, com o respectivo link.

Melhores cumprimentos

José Magalhães

ATRIBUTOS disse...

Aproveito ainda para lhe dizer, que também tomei a liberdade de colocar este vosso Blogue, na listagem dos meus favoritos, a ver diariamente.

Cumprimentos

José Magalhães

José disse...

Vi um documentário na RTP, hoje á noite..um português envergonhado porque não tem emprego, já viveu bem e está reduzido a ir ao exercito de salvação nacional para ir buscar alimentos...com vergonha, mas vai...isto é importante, meus senhores, não a cadeira ao lado direito ou esquerdo do ministro...por favor, contenham-se...

Francisco disse...

Caí neste blog sem querer, e lamentavelmente chego à conclusão que isto mais parece um blog de coscuvilhice.
Portugal precisa e agradece uma melhor democracia e sem dúvida um melhor jornalismo... Já quase tudo soa a revistas cor de rosa.... escalpelizam pormenores sem interesse... enfim... não se esqueçam que estamos em tempos escuros...e é hora de dar ao braço, não ficar entretido com coisas banais que não acrescentam valor.
Francisco

Rei da Lã disse...

Graças a este "post", fiquei a saber que o Pereira ainda é vivo...

Kat disse...

Reparem no que disse o José! A miséria e o desemprego, isso sim merece a atenção de todos!
Seja qual for a versão dos factos, a realidade é que tanto Ministros como Jornalistas estavam a comer e a beber à grande em Cabo Verde, um destino paradisíaco onde a maior parte dos portugueses nunca assentará um pé.
Qualquer português com o mínimo de integridade se recusaria a integrar qualquer comitiva ao estrangeiro numa altura em que o nosso país está numa crise económico-social profunda. Pessoalmente, teria vergonha de andar a gastar o dinheiro dos portugueses em viagens, hotéis, restaurantes, ...

Nuno Nogueira Santos disse...

Agora tenho a certeza que o País vai mesmo mal. Mesmo mal.

i disse...

Dina,
É possível que não te lembres de mim, mas estagiei na RR há dois anos e, apesar de não sermos do mesmo turno, fixei bem quem eras. Não dúvido que estejas a dizer a verdade, eu própria já presenciei coisas do género em conferências de imprensa, pequenas faltas de educação a que se fecha os olhos.
Confesso que me chocaram as reacções exageradas que aqui se fizeram sentir. No meio disto tudo, o ministro até foi o mais comedido. Há especialmente um certo anónimo, que dá um "testemunho presencial" tão claramente "da tanga" que perde toda a credibilidade. Se me dissessem que beijou os pés dos "senhores ministros" eu não me admirava.
Enfim, deixo aqui um beijinho. Acho que podes ficar orgulhosa por teres um blog tão famoso! (ui ui, até os ministros cá vêm!)

Miguel disse...

Wow!
Um post de tao poucas linhas provoca tudo isto. Vou voltar a este blog!
Fico contente em constatar que o PM tenha efectivamente deixado de fumar, ou pelo menos de o fazer em publico.

helena disse...

Uma delícia! Tanta gente crescida a perder tempo com uma cadeira (desde a autora do post até ao fim)!!!!! Obrigada pela barrigada de riso!!! Ahahahah!!

Post scriptum
(não é snobeira, mas eu recuso~me a usar a abreviatura disto, enquanto o companheiro de jantares da Dina for PM):

diz aqui que este blog não permite comentários anónimos... Então explicam-me como é que esses anónimos se conseguiram infiltrar?!

helena disse...

Uma delícia! Tanta gente crescida a perder tempo com uma cadeira (desde a autora do post até ao fim)!!!!! Obrigada pela barrigada de riso!!! Ahahahah!!

Post scriptum
(não é snobeira, mas eu recuso~me a usar a abreviatura disto, enquanto o companheiro de jantares da Dina for PM):

diz aqui que este blog não permite comentários anónimos... Então explicam-me como é que esses anónimos se conseguiram infiltrar?!

helena disse...

Uma delícia! Tanta gente crescida a perder tempo com uma cadeira (desde a autora do post até ao fim)!!!!! Obrigada pela barrigada de riso!!! Ahahahah!!

Post scriptum
(não é snobeira, mas eu recuso~me a usar a abreviatura disto, enquanto o companheiro de jantares da Dina for PM):

diz aqui que este blog não permite comentários anónimos... Então explicam-me como é que esses anónimos se conseguiram infiltrar?!

helena disse...

Uma delícia! Tanta gente crescida a perder tempo com uma cadeira (desde a autora do post até ao fim)!!!!! Obrigada pela barrigada de riso!!! Ahahahah!!

Post scriptum
(não é snobeira, mas eu recuso~me a usar a abreviatura disto, enquanto o companheiro de jantares da Dina for PM):

diz aqui que este blog não permite comentários anónimos... Então explicam-me como é que esses anónimos se conseguiram infiltrar?!

helena disse...

Uma delícia! Tanta gente crescida a perder tempo com uma cadeira (desde a autora do post até ao fim)!!!!! Obrigada pela barrigada de riso!!! Ahahahah!!

Post scriptum
(não é snobeira, mas eu recuso~me a usar a abreviatura disto, enquanto o companheiro de jantares da Dina for PM):

diz aqui que este blog não permite comentários anónimos... Então explicam-me como é que esses anónimos se conseguiram infiltrar?!

joshua disse...

Foi uma medida posterior.