quarta-feira

A infidelidade normalmente


Dizem que é cada vez mais normal... Mas aquilo que supostamente é normal, para mim é anormal. As revistas femininas garantem que o que está a dar é ter um amante. Há testemunhos de mulheres que exemplificam ao pormenor todas as vantagens... e são tantas que chega a ser assustador. O que acham? Estão as relações tradicionais fora de moda? Acho que sim... depois do que li senti-me uma peça de museu. O que me faz mais confusão ainda é que tudo isto pode ser lido em troca de tuta e meia, ao alcance de miúdas adolescentes... o que, como mãe, não posso deixar de me interrogar sobre o papel de imprensa especializada... escreve-se tudo ao acaso, tudo sem qualquer tabu. Onde estão os valores (lavores!)?
Ana

7 comentários:

Luis Serpa disse...

"Onde estão os valores ... ?"

Estão onde os pais e as mães estiverem, Ana.

GL disse...

As revistas femininas já não lutam pela igualdade da mulher, já vendem a ideia de que as mulheres devem pensar e agir sob uma lógica masculina.

GL disse...

http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2009/01/090114_mulhereshormonioml.shtml

Estudo liga infidelidade em mulheres a hormônio

Hormônio estradiol está ligado à fertilidade
Mulheres com uma concentração mais elevada de um hormônio ligado à auto-estima que as faz se considerarem atraentes têm mais chances de ter casos extraconjugais e de trocar de parceiros com freqüência, segundo estudo realizado nos Estados Unidos.

escola de lavores disse...

GL...
O problema é que acho que concordo consigo. Isto é, há um descrédito enorme na mulher como mulher... (e muitas vezes elas são as piores inimigas) vale mais imitar os homens. É o que vejo cada vez mais na sociedade.
Ana

madalena disse...

Será a infidelidade um direito exclusivo dos homens? Será que a espécie humana está preparada para a monogamia?

Anónimo disse...

E os homens? Estarão os homens preparados para estas mulheres "emancipadas"? Guess not. Mulheres que pensam (e agem) como, tradicionalmente, os homens são - por enquanto - assustadoras. Embora para mim, o papel principal deste scary movie vá para as mães, jesus!, como deve ser difícil educar. Por essas e por outras é que me mantenho solteira e boa rapariga...

tati

Luis Serpa disse...

É uma "queixa" que oiço muitas vezes, cara Tati. Como, do meu lado, só estou "preparado para mulheres emancipadas", tenho uma certa dificuldade em pensar em percebê-la (à "queixa", não a si).