sábado

“Lucky não”

Estar aqui, nesta casa sem ele, é como se fosse um desafio. É o princípio de uma vida nova. Uma vida um pouco mais vazia. E é por isso que a casa já não faz sentido. Abro a porta devagar para que ele não ladre e acorde a miúda. Olho para a taça com pouca água. Esqueci-me de a tirar… Uma sensação estranha e constante de que falta qualquer coisa. Não oiço os passos atrás de mim. Toda a gente diz que o tempo ajuda. Que nos adaptamos, talvez… mas fica tudo com menos graça. Esta é a pequena e inútil homenagem ao querido Lucky que nos deixou.

6 comentários:

Manela disse...

Ai, Tica...
Eu ontem nem quis dizer nada mas tb senti a falta dele... Até do 'bafo de bode'!
Enfim, vai ficar sempre nos nossos corações :-) (sei q isto é piroso, mas é verdade!)
Adeus Luckinho Tuca-Tuca! Um beijinho na testa da Madrinha!

ab disse...

Paix à son âme

luisa disse...

triste mas inevitável, não é, amiga? um beijinho.

Anónimo disse...

com posts deste calibre, assim se afunda a qualidade de um blogue de "mulheres jornalistas" que já teve dias bem melhores....

são cada vez mais confissões de mulheres e menos intervenções de jornalistas.

é pena....

escola de lavores disse...

este sempre foi um blog eclético. talvez já tenha tido melhores dias, admitimos. mas quem não quiser, não se faz convidado, certo?

pozinhos... disse...

Ana um beijinho desta amiga de sempre :* (força)