domingo

A arte de fazer nascer bem em Portugal




Finalmente uma boa decisão do Governo: não encerrar a Maternidade Alfredo da Costa. Sempre acreditei no bom funcionamento do Serviço Nacional de Saúde, a experiência de dar à luz na Mac foi apenas mais uma prova de que o serviço público funciona bem em Portugal. Que a minha experiência sirva para acabar com as histórias de terror que se contam. Preconceito número um: os médicos e as enfermeiras da Alfredo da Costa são brutos. No meu caso não podiam ter sido mais cuidadosos competentes e carinhosos no momento mais importante da minha vida. Preconceito número dois: para ter um filho é preciso sofrer. A epidural faz milagres quando dada no momento certo e dar à luz pode não doer como foi o meu caso. Preconceito número três: depois de ter a bebé ficamos entregamos a nós próprias. Na enfermaria em que fiquei tive sempre a atenção das enfermeiras 24 horas por dia.
Como diz António Arnaut, fundador do Serviço Nacional de Saúde,"o SNS é património insubstituível do povo e é dos melhores do mundo.

4 comentários:

luisa disse...

Parece-me que, em breve, a Ana poderá dar conta, aqui, de uma experiência nos antípodas da tua. E é sempre bom conhecer outras realidades para valorizarmos o que temos de bom (ou corrigir o que podemos melhorar). O SNS, a mim, de forma global, dá-me toda a confiança - tal como as escolas públicas, em termos de educação.

Rita Maria disse...

Eu voto Santa Maria. Morei em muitos locais diferentes, mas nunca conheci um hospital como Santa Maria. Já da Maternidade, confesso ter tido uma experiência muito negativa e a minha mae outra, a gritar para que viesse alguém com o bebé já a sair, porque lhe tiram garantido, a ela que já ia no quinto parto, que nao, que ainda ia demorar muito... e deixaram-na ali sozinha.

Mas os hospitais, sendo instituiçoes, sao também pessoas, dias e situaçoes específicas. E nao vejo no que uma clínica privada será diferente...

cardeal patriarca disse...

O SNS é o que resta do Estado Social que tentámos fazer. Defende-lo é praticamente uma questão de cidadania.

Por isso o seu fundador, António Arnaut, não pára de o defender e nós não devemos deixar de apoiar António Arnaut.

disse...

:)
Não me importava nada de ter tido o meu filho por lá:) De qualquer forma, para a proxima, eu dispenso epidural, muito obrigada:)