quinta-feira

Desculpem lá a redundância...

... mas se toda a gente já falou dessa manchete, nós aqui também podemos comentar - até porque é preciso fazer uma 'certa despesa de conversa' (nem-que-seja-a-falar-com-paredes) para aguentar este blog.

Adiante pois. Saramago, senhor de quem já ouvi dizer coisas belíssimas e acertadíssimas..., profetiza agora uma integração de Portugal em Espanha. Fosse outro qualquer a dizê-lo e seria um chorrilho de disparates, uma polémica-de-trazer-por-casa, sei lá que mais. Mas Saramago é consagrado escritor, Nobel mesmo! E comunista, ao que sabemos. (E nem vale a pena falar do que se conta de Saramago nas direcções editoriais do PREC...)

Só me ocorre perguntar:
Mas pode uma república integrar-se numa monarquia?
E pode um comunista fazer o apanágio de uma monarquia?
Expliquem-me, por favor, como se eu fosse uma franquista convicta.
(Mais tarde ou mais cedo seremos todos uns... federados. E bem sei que Afonso Henriques nunca devia ter batido na mãe... Mas pode o relógio da história recuar tanto?)

[PS, pois... não tem nada a ver com o post, mas acabaram de lavar a minha rua, que é enorme, e à mangueirada; será prenúncio de limpeza na Câmara de Lisboa? ou foi só o 'banho anual'? De qualquer forma, pude ver que as bocas de incêndio têm mesmo água. E funcionam!]

5 comentários:

ab disse...

Oui mais quels inconvénients verriez-vous dans une fédération d’états ibériques aux régimes pas nécessairement identiques, en attendant la république à deux?

luisa disse...

avec la république pour les deux, monsieur, rien de tout!
(suponho mesmo que a europa caminhará para uma federação...mais tarde que cedo)

Anónimo disse...

o ye!! motherfocker... this blog sucks!!

Paula disse...

Não sei muito bem é até que ponto estaria a Espanha interessada em nós?! Isto sem a conversa do pobrezinho que não faz nada de jeito, mas como as coisas estão não sei mesmo se qualquer dia não teremos de entregar a chave!

Anónimo disse...

Quando eu tiver a idade do Saramago, é natural que também diga coisas assim, sem dar por isso.