quarta-feira

L.

Basta estar vivo, para deixar de estar.
Quando nada o faz prever.
Poucas coisas valem as preocupações diárias.
Pequenas, tontas, dispensáveis.
É só incredulidade, antes de chegar a saudade.
E uma dor imensa.

2 comentários:

madalena disse...

Há muito tempo que ela andava a querer marcar um almoço...Pelo menos metade de nós trabalhou com ela, para além de sermos amigas. Agora já é tarde demais. Que nos sirva de lição para que não andemos sempre a adiar encontros, que muitas vezes são muita mais importantes que os compromissos que nos impõem no dia - a - dia.
Depois pode ser tarde demais...e havia tanta coisa que eu gostava de conversar com ela...

Ana disse...

Não a conhecia pessoalmente, apenas de nome... e estou atarentada. Há coisas que nunca vou compreender.... e talvez por isso sofra tanto com as perdas. Acho que simplesmente não sei lidar com elas.