segunda-feira

Um PM fará a diferença ?

Sobre o referendo ao aborto: pensando no que aconteceu em 1998, hoje só acredito na imprevisibilidade do resultado.
E uma posição vincada do Primeiro-Ministro sobre a matéria, é ou não determinante para a construção desse resultado ?

5 comentários:

Anónimo disse...

Com a 'carneirada' que costuma seguir os conselhos dos 'líderes', a mesma que está sempre a dizer mal 'deles', é bem possível que a opinião do PM conte. Mas como ele próprio já disse, alto e bom som, e absolutamente peremptório... A DESPENALIZAÇÃO É ATÉ ÀS DEZ SEMANAS, ...nem mais um dia, ok?

rps disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
rps disse...

Eu não voto, porque discordo dos referendos. Sou defensor da democracia representativa e acho que os srs. deputados é que devem legislar.
E sei lá qual é a diferença entre uma gravidez de 10 semanas e de 8 ou 12! Nem quero saber.

Para além disto, não consigo sentir qualquer simpatia pelas tias e tios e esganiçam a voz "pela vida" nem pelas abortadeiras do regime.
E acho que impera a hipocrisia no debate, principalmente no lado do SIM porque muitos dos seus defensores defendem, na verdade, oa liberalização total do aborto (sobra a qual também não tenho opinião formada) e não o assumem.

Se, por absurdo, fosse obrigado a votar, não sei o que votaria porque não consigo formar opinião sobre o assunto, nem o assunto me causa qualquer estímulo opinativo ou intelectual.

Como estou a cagar para o tema, se votasse, a minha única motivação era lixar o Sócrates, ou seja era votar NÃO.
E um dado é certo: por isso, era engraçado que vencesse o NÃO. Só por isso. Pelo resto, não sei.
Não há pachorra para a temática.

Anónimo disse...

Subtil como um "ayatollah" este rps
:))
AB

Anónimo disse...

Se estás a cagar para o tema e lhe dedicas 4 parágrafos, imagino se tivesses uma postura asseada....