terça-feira

Não se metam onde não são chamados

"A Igreja Católica vai indicar claramente aos fiéis qual deve ser o seu sentido de voto num eventual referendo sobre a interrupção voluntária da gravidez, cuja proposta será discutida no Parlamento na próxima quinta-feira. «Depois do dia 19, veremos qual é a posição do Parlamento e, a partir daí,não deixaremos de conduzir os fiéis, com uma palavra muita clara de qual deve s er o sentido do seu trabalho nestes próximos tempos», disse, em Fátima, o secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. Carlos Azevedo. A Igreja no seu melhor....

4 comentários:

Anónimo disse...

'Conduzir os fiéis' é expressão que diz tudo sobre a sobranceria e soberba desta hierarquia!

rps disse...

Carlos Azevedo?
Está tudo explciado - é um Bispo do norte.

cardeal patriarca disse...

Então metiam-se em quê ?

Ninguém os chama !

Pedro Almeida disse...

Começou
A Conferência Episcopal Portuguesa, orgão máximo da Igreja Católica em Portugal e a única que tem o direito de falar em nome da Igreja, no próprio dia em que foi aprovado o referendo na AR (ainda falta o sim do Tribunal Constitucional e do próprio PR), emitiu uma nota em que aconselha os católicos a votarem Não e que os bispos e padres irão fazer a campanha que entenderem necessária para elucidarem os crentes no caminho da defesa da vida.

Eu, não sendo católico, é-me completamente indiferente a posição que a Igreja defende, reconheço-lhes o total direito à sua opinião e ao aconselhamento dos seus fieis, mais ainda, têm todo o direito de definir as regras da sua própria "casa".

Agora os católicos é que têm que decidir se querem decidir por si próprios, pela sua própria consciência ou se vão pelos ordenamentos dos seus pastores. É uma questão que já me transcende.

A única coisa que me faz espécie nisto tudo é porque a Igreja se empenha tanto na defesa da vida intra-uterina e não mostra empenho nenhum no combate à pedofilia. Será conflito de interesses ?

http://furaconinhas.blogspot.com/2006/10/comeou.html