terça-feira

Não quero acreditar

... que, na Festa do Avante, houvesse um stand que fazia a apologia das FARC!
O tal exército guerrilheiro que se alimenta do narcotráfico e mantém sequestrada Ingrid Betancourt (uma das mulheres que mais admiração nos merece).

5 comentários:

madalena disse...

Pode ter sido produto da má organização. Porque na Cidade Internacional a anarquia com os stands são distribuídos leva a que surgam coisas que fogem completamente à organização de ferro que normalmente é considerada uma das características do PCP.
Em tempos antigos já trabalhei na Festa como voluntária e sei do que estou a falar....

rps disse...

Não entendo o espanto. Não apoiaram desde sempre os piores ou alguns dos piores?...

Anónimo disse...

Um blog "onde mulheres jornalistas" se afirmam em tanto que tal não pode deixar indiferente. Não estar de acordo convosco na maior parte dos casos não me traz problema, (não gosto do lado monologo solitário dos blogues), o que o que me interessa, é de "por onde" vocês "cosem outros retalhos das notícias", situadas que estão numa outra língua e numa outra realidade que a minha, deixando livre curso as vossas subjectividades respectivas.
Ora eu constato que finalmente a vossa manta de retalhos é tributária de uma ordem extremamente agendada, espécie de relação de "factos standard", "bordando a polémica" de maneira "convenue", por onde é facilmente previsível que ela passe...Manta de retalhos ou manta de salão?

Diria então que, justa seria a vossa cólera se não fosse tão selectiva e tão meiguinha com uma certa "realidade portuguesa."
Claro, daí a defender a presença das FARC na festa do Avante é um paço que não me permitiria nunca, apesar de constatar que mesmo assim, são os homens e as mulheres que constituem esse partido, (com que por vezes discordo), aqueles que encontro regularmente, quando aí vou, nas primeiras fileiras do combate à miséria e à ignorância, que quer queiram, quer não, continuam sendo (a meu ver), as duas principais mazelas portuguesas."
AB

Quintanilha disse...

Uma vergonha este Partido comunista do Jerónimo!
Há que denunciar estas situações!

Anónimo disse...

Entretanto, penso eu, que aquilo que os comunistas e outros denunciam, continua sendo a triste realidade portuguesa que não escapa ao observador mais vesgo que desembarque em Portugal e que de nada serve esconder.
Existem "dois" Portugal, um moderninho com auto-estradas prédios bonitos e sei lá que mais, para inglês ver, e outro, feito de cidades leprosas onde se vêm raparigas de 15 anos grávidas e com um filho pela mão já, uma juventude desdentada, onde a assistência medica é um luxo, despesas de habitação que ultrapassam por vezes 70% do orçamento do casal etc. etc. etc.
Os sucessivos governos sociais-democratas PS ou PSD solucionaram o quê? Dispunham portanto confortáveis maiorias no parlamento e de fundos europeus mais do que substanciais. Para onde foi esse dinheiro exactamente? As contas parecem tão "clarinhas" que uma comissão foi designada para apurar algumas.
Penso que os comunistas portugueses como os de qualquer outro partido comunista não disponhem de receitas milagrosas para melhorar a situação, mas entretanto propõem que a sociedade seja governada diferentemente de maneira mais justa e civilizada. Uma "democracia de pura forma" ou uma substancial "democracia de conteúdo"? Eis a questão.

Nunca consegui compreender o mistério da existência em Portugal de dois partidos sociais-democratas igualmente afiliados na internacional socialista.
AB