segunda-feira

Quando a conheci...

...já então ela tinha uma insaciável vontade de aprender e a grande curiosidade do jornalista. Além disso, fazia o que lhe propunham sem desculpas nem perguntas tontas, mas com um sorriso de gaiata que tranquilizava: faria e bem, apesar da insegurança.
Talvez estranhasse, no início, aquele meio tão marcado pelo tempo, medido ao segundo, sem espaço para erro, sem margem de correcção. Os mais velhos olhavam-na - catraia, destemida e discreta - com a mesma desconfiança com que me tinham recebido uns bons anos antes. Nela, o cabelo à Sinnead O'Connor dáva-lhe um ar cool, mas ela observava muito, falava pouco e trabalhava sempre melhor que o previsível e, isso, numa redacção é um bálsamo.
Milhares de caracteres separaram-nos depois, até que surgiu um sítio para nos cruzarmos regularmente: esta Escola de Lavores, onde ela continua a ser a 'caçula'.
De vez em quando falamos da vida e do trabalho. Tenho sempre, para ela, um tempo cativo que não negoceio.
PARABÉNS, Marisa...

6 comentários:

madalena disse...

Parabéns!

cardeal patriarca disse...

Como também me fiz da "casa" Parabéns

susana disse...

Muitos parabéns !!!

M. disse...

Os meus parabéns ! :o)

Marisa disse...

Caramba! Uma pessoa ansiosa por chegar aos 30, a ver se sente uma mulher madura, e agora que finalmente apaga 3 dezenas de velas, vem a mestre bloguista e deita tudo por terra.

Enfim... a eterna juventude é um dom que só alguns podem ter :)

Luísa, obrigada pela avaliação 10 anos depois. Obrigada pela mão, e pelo coração. Apetece-me chorar (e eu costumo fazer o que me apetece).

Obrigada a todos pelos parabéns. (Entretanto continuo de férias)

Ana disse...

querida marisa, mil perdões... só hoje voltei ao blog das minhas férias algo cansativas mas que valeram a pena... muitos parabéns com um dia de atraso, mas muito sinceros... esta mestre é, de facto, um espanto... o post que te dedicou estava lindo!