sexta-feira

Do encantamento

Um dos privilégios do meu trabalho é conhecer pessoas. Gosto de pessoas. Gosto de ser surpreendida, no melhor sentido, pelas pessoas. Em situação de trabalho conheço vagamente muitas pessoas. Outras tenho o privilégio de conhecer melhor, à custa das entrevistas ou da repetição de contacto. Às vezes acontece que de um 'nome grande' saí uma fraude, pelo menos em relação às minhas expectativas. Outras ocasiões revelam 'gente sábia' onde menos se espera.
Gosto de 'sábios'. Não os sei definir, mas (pré)sinto-os. Conheci poucos, confesso. Acredito que sejam mesmo uma minoria. São raros e quase sempre idosos. São pessoas que sabem, mas não fazem questão de dizer que sabem, nem de o demonstrar, e muito menos de impôr o seu saber. Têm uma atitude 'contemplativa' em relação à existência. Explicam tudo mas já perceberam que não vão mudar os outros ou o mundo todo. Gosto de gente assim. Sinto-me uma privilegiada quando os encontro.
Gosto também de outra categoria: 'gente verdadeira",... porque em tantos anos de profissão ainda não encontrei designação para elas. São pessoas que me entusiasmam, me comovem, que posso ouvir horas a fio, em entrevista. Têm história , têm 'coluna', têm um saber. É um privilégio poder conhece-las. Deslumbro-me a escutá-las. Nessas alturas, percebo a sorte que é poder fazer o que gosto, em vez de, apenas, gostar do que faço.
Encanto-me com gente sábia e verdadeira. Vou passar o fim-de-semana a preparar-me para mais um encontro com alguém que pressinto pertencer a essas categorias. E, durante a semana, conversei com uma dessas pessoas com as quais não se sente o tempo passar. Saí de lá desejando ler-lhe as memórias ou voltar todos os dias para mais histórias.
Não se pode dizer que tenha sido uma má semana de trabalho.

4 comentários:

Eva Shanti disse...

Partilho da suas ideias. Adoro conhecer gente desafiante, que consegue ver para além do quadrado que limita os outros; gosto de aprender, admiro a maturidade e a ponderação que só a experiência de vida pode dar, delicio-me com uma boa história, de preferência, verdadeira e pura.

Gostava de ter tido uma semana que pudesse recordar assim. Tirando alguns amigos verdadeiros, intemporais, o que levo destes 7 dias é uma lição pela negativa.

Bom FDS!

Bjs

Ana disse...

Hum... já estou ansiosa por ver o resultado!
É fantástico encontrar pessoas assim. Dá mesmo vontade de ficar numa de contemplação, enquanto falam, como se naqueles instantes conseguissemos absorver todo esse saber...

Marisa disse...

É ma-ra-vi-lho-sa essa(rara) sensação de encantamento com pessoas! Amo! Há quem tenha bons empregos :)

cardeal patriarca disse...

Eu também gosto de encontrar dessa gente.

São raros.

E esse onde é que se pode encontrar ou não se pode fazer publicidade ?