terça-feira

A verdade de Carrilho

Manuel Maria Carrilho lança, quinta-feira, "o retrato da mais brutal campanha negativa feita no Portugal democrático". É assim que é apresentado o livro em anúncio de jornal : o vídeo intimista que nunca existiu, difamações e apertos de mão, fugas e gaffes protegidas, armadilhas a Carrilho e perseguições a Bárbara.
A memória em política é curta mas, (in)felizmente há ainda quem se lembre da (longa) sessão de apresentação da candidatura no CCB, com o célebre vídeo em que Bárbara Guimarães perguntava ao pequeno Dinis quem é que queriam ver à frente da CML e o rebento, ao colo da mãe, respondia "papá". Claro que isto não é um vídeo intimista.
O mau ambiente entre o candidato e o PS-Lisboa também não passava de uma invenção jornalística. Carrilho e Miguel Coelho continuam a ser grandes aliados...o balanço agora feito, de autocarro, dos 180 dias de mandato, mostrou que o mau feitio dos media é que perdura...
Como diria o outro "É preciso topete !" Carrilho ainda não percebeu que a sua arrogância é que o deitou ao tapete. Carmona Rodrigues ganhou, não por mérito próprio (a sua campanha demonstrou a sua grande fragilidade), mas por não ter um adversário forte. E não foram os media que enfraqueceram Carrilho. Foi ele próprio que, com a sua vaidade, com o seu sentido de superioridade, conseguiu enterrar a sua mais-valia intelectual.
É fantástico ver que, seis meses depois, Manuel Maria Carrilho continua a considerar-se vítima. Concordo com ele. Foi a pior vítima de todas: de si próprio.

7 comentários:

Alfação disse...

Ainda há poucos dias, quando veio nos media que Carrilho era um dos mais faltosos na AR e que também faltava a reuniões importantes da CML, esse pavãozito veio a correr fazer uma operação mediática em que lançõu as maiores críticas à CML, só a pretender mostrar serviço.


PS- Alguém dará um cêntimo por um livro desses?

Alfação disse...

Ainda há poucos dias, quando veio nos media que Carrilho era um dos mais faltosos na AR e que também faltava a reuniões importantes da CML, esse pavãozito veio a correr fazer uma operação mediática em que lançõu as maiores críticas à CML, só a pretender mostrar serviço.


PS- Alguém dará um cêntimo por um livro desses?

rps disse...

Eu só espero que algum jornalista destacado para o serviço (que não vá para lá com espírito de "vernissage", como acontece com frequência na capital) coloque ao prof. Carrilho a questão que me parece essencial: que outros casos de campanhas negativas analisou ele para concluir que o seu caso constitui a "mais brutal campanha negativa feita no Portugal democrático".

Anónimo disse...

Tenho um armário que assenta mal no pavimento: esse livro dava-me um jeitão para endireitar o dito.

Mak, o Mau disse...

O Carrilho e a Babá sofrem ambos do mesmo mal: Ele não percebe que não é por ser casado com uma preferida dos populares que por osmose se torna popular e ela não percebe que não é por ser casada com um "intelectual" que passa também a ser uma por osmose.

E vivem os dois no perfeito desassossego de quem pretende passar uma imagem de quem não é. A ele pelo menos dou-lhe um elogio. É com livros assim que mostra que é tão portuguesinho como aqueles que despreza, pelo menos a nível de mesquinhez, teoria da conspiração e lavagem de roupa suja...

Assim, não admira que Carmona tenha sido o mal menor...

Manjerico disse...

A posteriori, mais um motivo para ter votado no pacato cidadão Carmona, que nunca devia ter chegado a Presidente da Câmara de Lisboa.

Anónimo disse...

Great site loved it alot, will come back and visit again.
»