sexta-feira

O amor não é cego

A matemática explica muita coisa. E uma dessas coisas é o amor. Não, o amor não é cego. No reino animal, a escolha do parceiro é feito mediante ‘x’ elementos. Também nos seres humanos acontece o mesmo. “Genes, cheiros, classe social, cor da pele são factores fundamentais para essa escolha”. Se quer perceber porquê vá ao Pavilhão do Conhecimento no dia 3 de Junho (Sábado). “A Matemáticas das coisas” é o grande tema que será debatido às 15h. A matemática prevê o comportamento humano. E ali, naquele auditório, pode perceber porque razão escolheu a sua cara metade. Fábio Chalub (Universidade Nova de Lisboa) e a socióloga Cristina Palma Conceição (Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa) são os oradores. A entrada é gratuita.

2 comentários:

escola de lavores disse...

A sugestão é óptima !

Mas será que a matemática prevê mesmo o comportamento humano?
Então porque não prevê que o comportamento humano seja tão pouco hábil com a matemática?

ok, não é para responder. se puder, vou lá ao pavilhão ver se percebo...

Marisa disse...

Também acho uma óptima sugestão!