segunda-feira

Às agências de comunicação que preparam as acções de propaganda

Têm tantos filmes, tanta luz no palco, tanta musica, tanto bolinho no corredor, tanto convidado, tanto computador e mesa de mistura, não podiam arranjar umas cadeirinhas para quem lá está só para relatar aqueles filmes-discursos-luz-musica-etc-etc que duram horas ? Junto das saídas de som, lá ao fundo ? E já agora, lembrar que há jornalistas que ficam no local, terminada a cerimónia, a enviar trabalho, desculpem o transtorno ... Peçam umas lições aos partidos. Ao PS, por exemplo. Obrigada.

A nova estrela socialista


Depois de perceber que a escolha de Vital Moreira para "intelectualizar" o debate eleitoral europeu não foi a melhor, o PS experimenta outras qualidades para "cativar" o eleitorado. Sábado passado, num "Novas Fronteiras" destinado à malta jovem do PS (e independente) José Sócrates partilhou o palco com Duarte Cordeiro (o líder da JS) e...Carolina Patrocínio. A apresentadora de televisão, que se tornou conhecida nos programas da Disney das manhãs de fim-de-semana da SIC, falou um minuto. UM MINUTO ! Agradeceu o convite e prometeu ajudar o PS no que fosse preciso porque os jovens/a cidadania/ a crise mundial. Um minuto. Depois aguentou-se sentada no palco os 40 minutos do secretário-geral do PS. Na fase das perguntas da plateia foi-se embora porque tinha um compromisso. A malta gostou e até assobiou quando Sócrates cumprimentou a convidada. Vai elevado o debate das Novas Fronteiras.

o suplemento de pacheco

Pacheco pereira tem um novo programa na SIC N. Chama-se Ponto/contraponto e faz a análise da comunicação social da semana. É um programa interessante e original, no qual o autor se compromete a falar apenas do que leu, viu e ouviu. É pena que, logo no primeiro programa, tenha quebrado o compromisso, falando do que, claramente, não leu. Se assim não fosse, não teria apresentado o suplemento de emprego do correio da manhã como uma prova do desemprego galopante. É que o suplemento de emprego anuncia empregos. Não anuncia desempregados.

quinta-feira

O que ele não disse sobre a educação em Portugal

Este senhor canadiano é o tal Don Tapscott que ontem escreveu este artigo a sugerir que o Obama também ofereça computadores a todas as crianças como se fez lá no "outro lado do Atlântico".

Logo no início do artigo refere-se aos 33% dos americanos que não terminam o ensino secundário. Faltou-lhe mencionar que esse tal país liderado por esse 'corajoso' José Socrates, é o país europeu com mais abandono escolar, a par de Malta. Cá são 36,3%. Neste país onde fosso entre ricos e pobres é cada vez maior, resolver o abandono escolar exige muito mais que um minichoque tecnológico.

O homem citado hoje no Público, via Lusa, com o título Especialista considera Portugal "líder mundial a repensar a educação", é proprietário de uma consultora de tecnologia. Mas a educação são contas doutro rosário, e não é com essas que este senhor com cara de padre sustenta as suas duas crianças e a mulher de nome português.

"facebook" sobre viagens

quarta-feira

Do endividamento ao enduvidamento

Manuela modesta, José humilde. Manuela sorridente, José auto-crítico.
Manuela e a política de verdade, enganada a dizer que obras públicas não geram emprego - ignora os milhares de sub-empreitadas que qualquer projecto público alimenta. José preocupado em resolver os problemas agravados com a crise - porém, admite protelar a acção até às legislativas.
Anibal retoma a estratégia do tabu, e cita sondagens que só ele conhece quando já ninguém acredita em sondagens.
A PT, um caleidóscopio de accionistas graúdos e outros nem tanto, resolve dar a mão a não sei quem com a notícia da intenção de comprar um terço da tvi - que está nas mãos de um grupo empresarial para-socialista espanhol e é também a estação que montou o circo do cerco ao Freeport.
O povo, nós mesmos, deita contas ao tempo que falta para ir a banhos. Possivelmente com mais umas hipotecas.

Em roda livre

Enquanto José Sócrates dizia, no hemiciclo, que o ministro da agricultura tinha falado na semana passada com Carlos Guerra que tinha posto o seu lugar à disposição - "O senhor ministro da agricultura agradeceu-lhe o gesto, agradeceu essa carta e tomou a decisão de nomear outro gestor do Proder"- Jaime Silva afirmava nos Passos Perdidos aos jornalistas que só hoje ia falar com Carlos Guerra, sabia que havia uma carta mas tinha estado em Bruxelas e por isso só esta tarde teria a conversa.

José Sócrates e Jaime Silva falaram ao mesmo tempo e entraram em contradição. Não se pense que o ministro tropeçou em jornalistas no corredor que lhe pediram uma reacção à conferencia de imprensa do CDS sobre este assunto. Foi o assessor de imprensa de Jaime Silva que convocou os jornalistas para aquela declaração, naquele momento. Qual o espanto dos repórteres ao compararem as declarações de um e outro ao regressarem ao plenário. Pouco tempo lá estiveram, pois foram novamente chamados para um segundo take de Jaime Silva.

Como é que foi possível tal descoordenação ? O governo já não acerta respostas para um caso que previsivelmente vai fazer parte de um debate ? Um ministro sai completamente desautorizado e nada acontece ? Se daqui a uns tempos a história for contada sem os nomes, todos dirão que se terá tratado de um caso do governo de Santana Lopes...

Mais um a despedir-se ?

Augusto Santos Silva elogiava a administração da RTP quando uma pergunta na primeira pessoa causou supresa na reunião, esta manhã, de uma comissão parlamentar:"O que é que eu recomendarei a quem quer que me substitua nesta tarefa ?" Mais um ministro a despedir-se ? Santos Silva apercebeu-se e tratou logo de corrigir o que tinha dito "sim, quem quer, inclui-me a mim próprio...sei que ficou supreendido mas quem quer...estava a incluir-me a mim próprio...é uma questão que depende apenas do Primeiro Ministro".

terça-feira

Quais sondagens ?

Apenas com o PSD a defender eleições simultâneas, Cavaco Silva ficou sem espaço de manobra para agendar para o mesmo dia das autárquicas, as legislativas. Já se percebeu que essa é tambem a opção presidencial mas definir esse calendário seria fazer o favor a Manuela Ferreira Leite e à sua familia política. Pensava eu que o PR quisesse evitar essa leitura até ouvir Cavaco falar numas sondagens que defendem esse cenário...

PS Sobre este assunto, é no mínimo curiosa a (não) posição manifestada hoje por António Costa à saída de um almoço do American Club. Costa não quis manifestar preferências quanto a datas "é um assunto do presidente da republica e governo". Nem com a posição do PS o presidente-candidato à Câmara de Lisboa se quis comprometer.

Porque é importante andar de elevador

“Em matéria de refeições, os clientes dividem-se em 3 grupos: os de Lisboa almoçam connosco, os dos arredores da capital agendam-nos pequenos-almoços e os do Porto convidam-nos para jantar”. Em tempo de pré-campanha, é bom estarmos atentos à agenda dos influentes organizadores...

O opaco gamanço da Vodafone

Ando há vários anos a pagar mais do quádruplo do que podia. Chateiam por tudo e por nada, mas para dizerem, "olhe que temos aqui um plano muito melhor para si", está quieto. Depois ganham prémios de responsabilidade social...
Deixem-me ter tempo para fazer mais umas contas e tal, que, em breve perderão mais um cliente. Ainda bem que, como jornalista, já tive oportunidade de moderar (e perguntar o que tinha a perguntar) um evento da consultora sdc que os classificou entre os mais transparentes.

"índice do situacionismo"

o autor do "índice do situacionismo" proibiu a publicação da sua entrevista ao i depois do jornal ter feito manchete com uma declaração de luís filipe menezes.

segunda-feira

"As defesas dos políticos estão em baixo, é como se estivessem despidos"

Ontem começou o Verão. E hoje a corrida para as legislativas - sem grande marketing, diz luís paixão martins

Carinhas larocas... ou talvez não.

O que dirá de Ahmadinejad o especialista em morfopsicologia que este Sábado no Expresso traçou o perfil de algumas vedetas portuguesas (PM na lista) com base nas suas carinhas larocas (incluindo as 'botoxizadas')???










Suponho que dependa das fotos que lhe puserem à frente....






P. faz de conta

Andávamos mesmo esquecidos dos oráculos que neste Portugalzinho nascem como cogumelos - com a excepção daqueles que, pagos a peso de ouro, nos consomem a perorar sobre tudo e todos, sob o rótulo de comentadores.
Se calhar, já ninguém se lembrava dos dons divinatoriamente presunçosos do famigerado 'compromisso portugal'... Eis, assim, que um 'grupo de economistas' em plena crise económica - que foram incapazes de prever ou de solucionar - faz descer sobre si os holofotes: tantas doutas cabeças sabem, certezinha absoluta, que é preciso discutir a estratégia dos investimentos públicos. Pois acho bem. Muito bem, mesmo.
Deve ser uma coisa em forma de assim: eles discutem e a população é poupada a sentenciar sobre a estratégia de governação. Ou seja, poupa-se em eleições!
Seria este o intervalo na democracia que a Dra. Manuela Leite, em tempos, sugeriu?

Ainda a entrevista à SIC: Diz que até a auto-promoção foi "editada" pelo governo

Correndo risco de ser despedida, cá vai: Diz-se pela SIC que a primeira versão da auto-promoção para a entrevista de quarta-feira passada a José Socrates continha imagens de uma manifestação anti-Sócrates, mas que a que foi para o ar, não.

Para quem, como Raúl Vaz,"estranhou" o Primeiro Ministro não ter "sido picado" durante a entrevista de Ana Lourenço, esta revelação não deve surpreender. Aliás, infelizmente, este tipo de descaramentos já não surpreendem. Demasiada gente acha normal, como se estivéssemos chegado à Madeira... ou ao Irão.

Entre as seis entrevistas do Primeiro-Ministro, esta foi a menos vista de todas. É tramado tentar agradar a fontes, telespectadores, anunciantes, pai, filho e espírito santo. Talvez mais gente tivesse sintonizado a SIC e a SIC Notícias, se a auto-promoção mantivesse a tal 'manif' e se a malta se revisse na jornalista como sua porta-voz e não dos eleitos/candidatos...

E será que, na hora de dormir, os meus ilustres colegas se sentem 'muito satisfeitos consigo
próprios' como diz sentir-se o homem entrevistado?

Nota (para não dizer PS): Entretanto já sei que nas próximas horas, a super-eficiente equipa de assessores tratará de inserir abaixo um qualquer comentário a atirar para a super-agressividade, como aconteceu, por exemplo, aqui.

sexta-feira

O Irão está a cair nos alinhamentos

Não sei se houve fraude eleitoral. Não sei se Mousavi é melhor que Ahmadinejad. Sei que quando há mortes, detenções e espancamentos em manifestações de milhares que os jornalistas são proibidos de mostrar, há motivos para protestar.

´Tava a ver que lá se ia a minha teoria do sexo-esgoto...

Costumo dizer que o sexo é esgoto das nossas emoções e quanto mais complexas elas são, melhor (ou não...) ele é. A ler o artigo de capa da Visão desta semana vi que 63,4% das mulheres e 35,6% dos homens nunca se masturba e pensei que algo não batia certo. Ora, se meio país anda "a poder de" (adoro esta expressão!) Zoloft é porque anda tudo doido da cabeça. Se anda tudo doido mas o sexo está "rodeado de bolas de naftalina" [Clara Soares, Visão], então afinal para onde se escoam os traumas? Veio logo o esclarecimento: "Eles e elas têm mais stress e cansaço, já para não falar dos efeitos secundários da medicação para a ansiedade e depressão, que reduzem a libido." Ok... bate certo :)

Qual é a diferença?




.
.
.
[Há meses, a propósito de nada, ia postar isto (juro!), mas passou-me... Hoje o crime do Obama, relembrou-me]

Fichas triplas

A minha estreia ontem na comissão parlamentar de inquérito ao BPN mostrou-me o grau de sofisticação do novo jornalismo. As jornalistas (sim, a grande maioria era mulher) já vão para aquelas longuíssimas reuniões com fichas triplas. À falta de tomadas para todos os computadores, Elas arranjaram uma forma prática para não ficarem sem eles a meio das audições. Aproveito para agradecer publicamente a quem não se importou de partilhar a sua tripla comigo...

O que unirá a Asae à Bragaparques?

Hoje fiquei a saber pelas notícias que o controlo dos parques infantis passa para a Asae. E há dias, por (mais uma) péssima experiência num parque de estacionamento, ao preencher o livro de reclamações, fiquei a saber que também é a Asae a responsável por esses espaços onde os lugares são exíguos demais para uma pessoa obesa sair do veículo, onde as vias de circulação são demasiado estreitas (haverá alguma curva sem marcas de para-choques???), onde os peões caminham sem fim à procura de saídas e máquinas de pagamento raramente sinalizadas... etc., etc..
Esta lei (ver art. 11º) estabelece uma largura mínima de 2,30 metros para os lugares de estacionamento, mesmo sabendo que outra lei permite que os veículos tenham até 2,55 metros de largura. Eu com o meu carro de 1,75 metros e os meus 62 quilos de peso já me vejo à rasca para sair e entrar. Por que é que a Asae arranja tantos problemas na restauração, e se borrifa para estes espaços subterrâneos?
Há dias, estreei-me no parque de Miraflores, da Bragaparques. Tenho andado de muletas (canadianas, para muita gente... não sei porquê), mas consigo conduzir. Tinha uma consulta na clínica logo ali lado. Esperei-esperei pelo o único elevador que encontrei, mas nunca veio. Tive de subir pelas escadas, eu e as muletas, devagar. Cheguei sete minutos atrasada à consulta (privada), e o médico pura e simplesmente foi-se embora, sem um telefonema para o meu telemóvel. Resumindo: reclamação na clínica e reclamação no parque.
O recepcionista, muito simpaticamente, ainda me disse "Teve azar. Escolheu logo o elevador errado. O que dá acesso à rua está a funcionar, os outros dois é que têm estado avariados." Ninguém se deu ao trabalho de pespegar ali um aviso de avaria, nem sinalização para elevadores alternativos. Mas, junto aos lugares de garagem, como lhes interessa rentabilizar cada milímetro, já há uns papéis improvisados, para não se estacionar em mais do que um dos miseráveis espaços delineados.

quinta-feira

arzinho de guterres

Não percebo por que razão sócrates tem que ser mais macio, mais delico-doce, mais simpático. sécrates não é propriamente do estilo meiguinho. não era assim enquanto secretário de estado, enquanto deputado, enquanto ministro. nunca cultivou essa imagem. tem uma forma de estar em público aguerrida, mesmo truculenta. sempre me lembro de ser assim e, em minha opinião, não ganha nada com este açucarar da imagem. não gostei de o ver ontem na sic. irritou-me aquele re-styling. era melhor alterar algumas decisões, avançar com outras que parece ter esquecido, fazer coisas diferentes em vez de fazer as mesmas coisas com um sorrisinho nos lábios e um arzinho de guterres.

Elisa, Ana e Paulo

Depois das candidatas autárquicas ao parlamento europeu, ficámos ontem a conhecer o pré-euro-deputado-ministro.Paulo Rangel, que tanto criticou as candidatas duplas do PS, confessou ontem na sic-n que está disposto a deixar o lugar que nem sequer assumiu para ir para o governo se o PSD ganhar as eleições.

Eu gostei foi do final

Não percebo o coro de surpresa que anda para aí sobre a entrevista de José Sócrates a Ana Lourenço. Mas será que nunca viram o Dia D ? São Bento não dorme muito menos depois de uma derrota eleitoral.

quarta-feira

O derrotado por ausência

Foi para campanha a protestar contra a ausência do Primeiro Ministro no Parlamento. Indignadíssimo, acusou Sócrates de querer fugir aos debates quinzenais, etc, etc. Hoje, quando finalmente tem o PM ali à mão, para um debate cara-a-cara, não aparece ! Segundo o PSD, Paulo Rangel estava em Bruxelas. Prioridades de agenda, claro. Mas depois do volte-face que teve de fazer no financiamento dos partidos vetado pelo PR, a ausência desta tarde é mais uma para um rescaldo vitorioso que não lhe está a sair nada bem.

terça-feira

Quem o viu e quem o vê

Parou junto dos jornalistas. Sugeriu que gravássemos no átrio da sede e não na rua. Respondeu às perguntas. Reconheceu o desgaste do governo, as reformas ásperas, a HUMILDADE com que o PS tem de analisar a derrota eleitoral. Não falou em "Manter o Rumo" e referiu-se à maioria que vai pedir nas legislativas como "a maioria parlamentar que dê ao PS condições para governar".

Quem ouviu Sócrates na noite eleitoral, notou as diferenças. Quem costuma acompanhar as reuniões do PS, tambem. Até porque além das declarações à entrada, que não costuma haver, ontem, tambem houve à saída. Sócrates, mais uma vez, parou e respondeu. Insistiu na "atitude de humildade para reconhecer os erros que eventualmente tenhamos cometido e para os podermos corrigir" e esclareceu que "uma maioria parlamentar é uma maioria absoluta".

Não estávamos habituados a isto.

segunda-feira

Ainda não se demitiu

Vitor Constâncio está a ser torturado em directo. A distância que o separa naquela mesa do deputado Nuno Melo tem evitado o pior. Dura há horas. Constâncio diz que se o BdP fez tantos comunicados sobre o BPN foi em resposta às conferências de imprensa do deputado. Melo sorri quase satisfeito.
Maria de Belém diz agora que há um limite [no Código Penal (?)] para esta tortura. A TVI24 transmite em directo. Constâncio levanta-se e põe as mãos na cintura, casaco aberto, gestos largos. A presidente da Comissão Parlamentar impõe finalmente um intervalo. Cheguei a pensar que chegariam a vias de facto...

PS - os debates mensais ao lado dos trabalhos daquela comissão são como ensaios de artistas amadores.

MUDE

É um dos espaços culturais mais interessantes de Lisboa. Pequeno, modesto, ainda assim é um novo pólo de atracção na baixa lisboeta. Fica a grande distância de um MOMA, mas é o início de um bom museu de design. Actualmente tem uma exposição sobre cartazes políticos... praticamente cem anos de retratos pictóricos de ideologias, líderes e campanhas - mais actual, não há:-)
Vale a pena passar uns minutos a rever os spots telelevisivos 'anti' das últimas presidenciais norte-americanas. Tenho pena que boa parte da iconografia política do PREC não esteja nesta mostra. Até ao fim do mês, as entradas são grátis no MUDE - vai sempre a tempo.

No país real

Se nas urgências do hospital o médico confirma que a criança está doente e precisa de ficar em casa, por que raio não pode logo passar a declaração de assistência à família à mãe ou ao pai que vai ter que ficar com ela ? O médico de família no centro de saude merece mais confiança ? Este, que nem sequer viu o estado da criança ? E que se faltar, obriga-nos a ir de manhãzinha para o centro de saude para apanhar o médico de reforço que nunca nos viu ? Se alguém me conseguir explicar a racionalidade deste processo peregrino, faça favor. É que há burocracias que podem desgastar mais do que a doença...

Teremos uma Colecção Sócrates?


Se o caso deste juíz faz jurisprudência, os novos mil títulos que mensalmente chegam às livrarias vão multiplicar-se.
Já estou a ver os escapartes cheios de livros do autor Sócrates a expôr os seus arrependimentos sobre o caso da licenciatura em engenharia, o caso dos projectos arquitectónicos alheios, o caso dos três anos esquecidos de IRS - talvez por solidariedade entre pares tenha, há dois meses, afinal, decidido perdoar os pobres pensionistas que, por lapso do Estado, estiveram prestes a passar (ainda mais) fome para pagarem uma multa injusta.
Quiçá esta Grande Colecção ainda tenha um calhamaço do caso Freeport, sobre o arrependimento de ser sobrinho de quem não devia. Temos obra!

Lua: boas notícias para os cépticos... ou talvez não!

Encontrei uma enciclopédia online muito interessante que argumenta contra "dados adquiridos." Eu que defendo (e sinto, sem dúvidas nenhumas) os efeitos da lua no corpo e cabeça humanos, vi aqui umas estatísticas em que a enciclopédia céptica pretende provar que o número de condutores "apanhados" bêbados não tem nada que ver com as luas nova e cheia - as que irradiam os tais iões positivos (péssimos para a saúde) de que postei há dias.

Contentes, dizem qualquer coisa como: 'Como vêem, num ciclo de 28 dias, os dias com mais presos são o 12º, o 26º e o 27º. E não os dias zero (lua nova) e 14º (lua cheia)'. Não percebo se são cépticos ou cegos... Não vêem que os picos são precisamente 2-3 dias antes das ditas luas se completarem? Ou serei eu que vejo demais?

sexta-feira

Da suina relatividade da agenda jornalística

Há dias o site da BCC tinha um discreto título sobre a doença de Alzheimer e um grande destaque sobre a febre suina, a primeira pandemia deste século (a maior da história recente terá sido a gripe espanhola de 1918, segundo a Wikipedia).

A gripe suina afecta 30 MIL (29. 669) pessoas em 74 países enquanto, mundialmente, nos 195 países do globo, a doença de Alzheimer afecta "apenas" 27 MILHÕES de "trapos velhos". Já para não falar da pandemia Sida que afecta 25% de toda a população africana e um total de 33,2 milhões de pessoas, com nome, amigos, familiares, pasado, presente... e (algum) futuro.

O grande destaque da gripe suina na BCC era apenas mais um follow up da tragédia. A pequena notícia do Alzheimer era sobre uma descoberta que traz esperança aos milhões de pessoas, entre doentes e familiares e amigos, que vivem no permanente drama do esquecimento. Só em Portugal são 70 mil, mais do dobro de todos os infelizes que padecem da gripe suína.

Por todos estes milhões, e muitos mais*, chateia-me verdadeiramente a agenda jornalística. Entra-se em histeria para uns assuntos e há completa omissão dos mais relevantes. Enjoa-me folhear um jornal ou uma revista e ver todas as colunas de opinião versarem sobre a mesma "ordem do dia" - e a versarem basicamente os mesmos versos -, como se nada mais, para além de um qualquer bate-boca parlamentar, afectasse a vida dos seres humanos.

A agenda do jornalismo é realmente estranha. Tão estranha quanto a força analfabeta das massas, capaz de, nessa vertigem gregária, estupidificar o mais sobredotado dos génios. Ainda estou para entender (entender mesmo à séria) a razão desse fenómeno que Freud também tentou explicar.


* Morrem por ano nas estradas 1,2 milhões de pessoas. E 50 milhões ficam feridas, segundo as estatísticas rodoviárias mundiais. Entre as cerca de 2,5 mil milhões de mulheres do mundo, uma em cada três sofrem de violência doméstica...

É sempre bom saber que estamos preparados para qualquer pandemia

Agora que temos pandemia e já se fala na reorganização do serviços de saude, aproveito para sugerir modificações no protocolo de crise perante suspeita de gripe A. É que infelizmente apanhei há dias um desses momentos de pânico hospitalar e o recado enviado (via utente que estava de saída) para a sala de espera da Estefânia, cheia de crianças doentes, foi este: "estão a mandar toda a gente para a rua". Era uma da manhã. Não estava uma noite amena e calculo que nem todos tinham carro ali à mão para guardar a respectiva criança como eu. A minha estava cheia de febre a aguardar pelo resultado dos exames. Ninguém sabia o que se passava mas um enfermeiro de máscara a montar uma barreira para impedir a passagem dava a entender que andaria qualquer coisa que não devia por ali. Eu só confirmei a suspeita porque no caminho para o carro cruzei-me com duas funcionárias à janela que me explicaram o que se estava a passar. Sorte a minha porque o pai que ficou à porta só conseguiu saber que "ah, isto agora são três horas, para limpar tudo...não vai reabrir tão cedo" O que fazer então ? Voltar para casa sem saber o que se passa com a criança, depois de quatro horas no hospital ? Aguentar no carro e esperar pela reabertura ? Não seria mais simples que o hospital reenviasse as crianças para outro local/ outro hospital mas não para a rua?
No meu caso, e quando já estavamos prestes a deixar a Estefânia, ainda voltei à porta para fazer o ponto de situação. Ainda bem que o fiz. Parecia que nada tinha acontecido. Já estava tudo na sala de espera. Os policias à porta descansados a dizerem que tudo estava normal. Afinal a suspeita não se confirmara. Uau !

terça-feira

Mais uma queixinha para o buraco da Câmara de Lisboa


A Câmara Municipal de Lisboa anda muito asseada, a sacudir a água suja do capote. Faz questão que o povo saiba que os atrasos naquele prédio da Rua da Madalena não são da sua responsabildade, mas da Assembleia Municipal.
Entretanto sacode a quezília para aquela bela lona cuja impressão - feita por amigos, com desconto, ou não - não custa barato, e é paga com o dinheirinho dos otários dos contribuintes. Depois queixam-se que têm um buraco financeiro e o presidente António Costa vai pedir 360 milhões de euros à CGD, e espanta-se que o tribunal de contas lhos negue...
As "guerrinhas" de uns desperdiçam o orçamento de todos, e este é apenas um singelo sinal, ali bem escarrapachado. É por isso que dá mesmo vontade de guardar o dinheiro do IVA no bolso e ceder à vergonhosa pergunta "quer recibo?" Qualquer dia entro "em simplex" e passo a rejeitar também esses papéis que, pelos vistos, só servem mesmo para aumentar as contas em 20%. Ainda há dias podia ter poupado 23 euros, que davam para 4,5 almoços (uma semana) lá na cantina.

Revelação: Coincidências ou omnisciência humana?

No passado fim-de-semana, no I Congresso Internacional de Sincronização com o Planeta Terra, em Lisboa, Carol Adrienne deu vários exemplos de coincidências que a colocaram no seu “caminho”. E disse qualquer coisa como: ‘Não sei como isto acontece, mas acontece.’ Eu cá acho que sei (já vos digo).
Esta ex-funcionária de uma empresa de catering que se tornou parceira de escrita do famoso James Redfield, autor do best-seller A Profecia Celestina, entusiasmou a vasta audiência ao sugerir que, durante 10 minutos, metessemos conversa com alguém e descobrissemos pontos comuns. Eu falei com uma senhora de cabelos vividos que, afinal, também era amiga da pessoa que há uns 10 anos me ofereceu... a Profecia Celestina!

Será coincidência ou eu, inconscientemente, já “conhecia” aquela amiga e por isso me sentei ao seu lado? A minha hipótese é tão especulativa como as que se atiram para a abstenção das europeias (cartão vermelho aos políticos ou êxodo para férias de feriados?). Ainda assim, voto nesta teoria: As coincidências (sincronicidades como lhe chamou Carl Jung) são meras concretizações de algo que, sem nos apercebermos, já sabemos que vai acontecer.

Por exemplo: começo a reparar em várias coisas verdes. Depois vou ver casas para comprar e decido-me pela que é verde, supostamente porque recebi vários sinais que devia ser aquela. Na verdade, penso que já “sabia” que ia para aquela casa, por isso uns tempos antes reparei em tudo o que era daquela cor. Um pouco como quando andamos de muletas e reparamos que, afinal, diariamente, cruzamos-nos com imensa gente na mesma situação :)

Além de promonições, as coincidências podem também ser telepatias. Se eu berrar numa sala “alguém tem um lápis?”. Quem tiver, responde. Quando lançamos SOS mentais ao mundo, quem ouve, chega-se a nós. Talvez isto seja aquilo a que Jung chamou subconsciência colectiva.

E por que acontece mais a uns que a outros? É como na comunicação tradicional, uns são mais dotados que outros. Todavia, todos podemos treinar os nossos dotes oratórios.

Nota: Infelizmente não me certifiquei da teoria com a Carol Adrienne.Vicicitudes da lua cheia, não pude ir ao segundo dia do congresso :)

Dupla censura à classe política?

Depois da elevada percentagem de abstenção nas eleições de domingo, hoje, o Presidente da República vetou a lei de financiamento dos partidos políticos - que todos tinham aprovado numa estranha unanimidade parlamentar.

segunda-feira

Descobri a pólvora!!! Já sei como é que ela nos lixa. E como podemos nós lixá-la a ela!!!

Tanto a cheia como a nova emanam iões positivos - que apesar do nome são maus para a saúde. São os mesmos iões emitidos pelos ares condicionados, computadores, etc. Segundo várias informações online, dão-nos cabo dos músculos, nervos, brônquios e por aí adiante. Diz que afecta sobretudo quem tem problemas digestivo-intestinais - p'lo menos estes aqui falam em leveduras.
A melhor notícia é que o mercado já tem soluções para isto! Além das velhas pulseiras anunciadas pelo Sala, há Chuveiros, lâmpadas ou aparelhos que emanam iões negativos (os bons) e um simples pacotinho de sal do Himalaias. Já encomendei alguns "escudos" destes. Por apenas 70 euros (60 do chuveiro mais 10 do sal)... Adeus fibromialgia e comprimidos de serotonina!

domingo

Dizem que 'isto' já virou

Vital Moreira (ex-PCP) no PS; Miguel Portas (ex-PCP) no Bloco: pelos resultados das eleições, sair do PCP só compensa se for pela esquerda.

É comovente ver os PSD (novamente) unidos em torno de algo que é... verdadeiramente assustador.

sexta-feira

Coisas que sabemos das eleições de domingo

A abtenção será altíssima.
O PS ou o PSD ganham.
O PS é o vencedor, malgré a estratégia de comunicação "calimero" que adoptou.
O PSD (não) ganha, justamente porque tem um grande orçamento e estamos em crise, e Paulo Rangel até não se sai mal na estreia.
O Bloco torna-se mais sólido, pois que há novos descontentes e eleitores que acreditam que todas as eleições são boas para contestar. Este é o motivo que aguenta a solidez do PCP.
O CDS já não é o que foi.

We need hope


Um oráculo da polis contou-me que, a partir de segunda-feira, este senhor [Pedro Passos Coelho] retoma a sua caminhada de fundo, num patamar mais adiantado...

quinta-feira

O maravilhoso (e incrível) mundo do nosso fisco

Já sabiamos do excesso de zelo do sr. director geral de impostos, a propósito do famoso cheque de cêntimos remetido e assinado por José Azevedo Pereira...

Mais difícil de imaginar é que um contribuinte pudesse ser ameaçado com uma multa de 120 euros, por não ter entregue a declaração de rendimentos de 2006... a mesma, justamente, que o contribuinte entregou dois meses antes do fim do respectivo prazo e graças à qual conseguiu reaver umas largas centenas de euros!

Bem sei que estamos em período de crise e com o Estado a acudir a tantos, sobretudo a bancos mal geridos que requerem grandes dinheirinhos, é preciso repôr os fundos do fisco... Mas um bocadinho de atenção aos papéis talvez evitasse que um contribuinte responsável e cumpridor tivesse de perder tempo (e ganhar stress) gastando o seu tempo produtivo numa repartição de finanças apenas a mostrar que, afinal, no meio de tanto zelo, há só burrice a mais na DGI.
Pessoas que tenho encontrado nos comícios do PS






































Musica que tenho ouvido nos comícios do PS





Vai um pézinho de dança ?






Surfar emoção

A três dias das eleições europeias, os jantares sucedem-se, mais os comícios sentados, os beijinhos ao povão e os apertos de mão. Um diz que é preciso mostrar os bons exemplos, os tais de que os media não falam. Outro diz que domingo é a oportunidade para mostrar desagrado e penalizar quem mal governa.
Dantes por cá, do outro lado da fronteira hoje mesmo, os comícios eram empolgação, pura emoção, comoção até. Mas agora, que ideia de Europa nos vendem? O que sentimos nós sobre esse sujeito?
Ao contrário de outros produtos, (est)as eleições nem servem para lavar a política!

quarta-feira

E se ele aceita?

Obama quer ver Lula presidir ao Banco Mundial.
[Posto isto, e depois da queda do muro de Berlim, só falta mesmo que Marx se levante do túmulo e abençoe a tomada de posse] .

terça-feira

pergunta de advogado

"nunca perguntes a um padre se podes fumar enquanto rezas. pergunta antes se podes rezar enquanto fumas" - rogério alves, programa prós e contras de ontem

segunda-feira

Será que os engºs não têm sentido de humor?

A dúvida sobre o humor do sr. eng.º assalta-nos inevitavelmente, com as referências que têm sido feitas ao facto (?) do mais recente êxito dos Xutos e Pontapés não passar na Antena Um. Faria algum sentido que a rádio do Estado pudesse fazer uma 'censura' velada a uma cantiga irónica? Onde anda o sentido de humor da nossa engenharia?